O Primeiro Bug em um Computador da IBM

O primeiro “bug” (inseto, em inglês) de computador ocorreu em 1945 numa máquina Harvard Mark II da IBM e foi provocado por um inseto de verdade. Uma mariposa entrou pela janela e entrou na máquina Mark II, na universidade de Harvard e travou todo o sistema. O fato ganhou notoriedade porque o técnico que descobriu a mariposa e a retirou da máquina, anexou o inseto ao seu relatório (foto). Apesar de provavelmente ter espalhado o termo bug na computação, a palavra já era usada como “erro” ou “problema” desde os tempos da Revolução Industrial. Mas o bug mais famoso e caro da história da informática foi a ameaça do Bug do Milênio na virada de 1999 para o ano 2000.

O primeiro “bug” (inseto, em inglês) de computador ocorreu em 1945 numa máquina Harvard Mark II da IBM (sigla para International Business Machines) e foi provocado por um inseto de verdade. Uma mariposa entrou pela janela e entrou na máquina Mark II, na universidade de Harvard e travou todo o sistema. O inseto foi descoberto por Grace Hoper, que não conseguia descobrir por que o computador estava com uma pane, até que ele descobriu a mariposa nos contatos de um relê. O fato ocorreu faz 69 anos e acredita-se que foi ele que deu a origem ao bug como erro do computador.
Grace teve que tirar o inseto com uma pinça e disse que “estava tirando o bug da máquina”. Depois, colocou a mariposa em seu caderno de anotações com uma fita adesiva (foto) e escreveu tecnicamente em seu Relatório de Manutençãoprimeiro caso de bug realmente encontrado”. O caderno está no Museu Smithsonian, nos Estados Unidos, mas não se encontra em exposição atualmente.
Apesar de provavelmente ter espalhado o termo bug na computação, a palavra já era usada como “erro” ou “problema” há um bom tempo. Nos tempos da Revolução Industrial esta palavra já era empregada como gíria para significar a ocorrência de uma alguma complicação. Quando as máquinas começaram a substituir o trabalho braçal, elas foram instaladas em galpões abertos, onde havia uma grande variedade de insetos voando de um lado para o outro, o tempo inteiro. A possibilidade de um deles pousar em local errado e causar estragos era grande. Daí qualquer parada mecânica era, a princípio, atribuída a um bug. Thomas Edison já falava sobre bugs em sistemas elétricos em 1870.
O mais famoso e caro de todos os bugs foi o chamado Bug do Milênio, que ameaçou paralisar o mundo na virada de 1999 para 2000. Calcula-se que para neutralizá-lo, foram gastos 120 bilhões de dólares. "O problema central do Bug do Milênio era o fato de que os sistemas antigos desenvolvidos no século XX guardavam e interpretavam as datas com 2 dígitos no ano. Isso ocorria pela necessidade de se economizar, uma vez que em 1965 um megabyte de espaço de memória magnética (suficiente para gravar um texto de 300 páginas) custava US$ 761."
"Como todas as datas eram representadas por somente 2 dígitos, os programas assumiam o "19" na frente para formar o ano completo. Assim, quando o calendário mudasse de 1999 para 2000 o computador iria entender que estava no ano de "19" + "00", ou seja, 1900. Os softwares mais modernos, que já utilizavam padrões mais atuais, não teriam problemas em lidar com isso e passariam corretamente para o ano 2000, mas constatou-se que uma infinidade de empresas e instituições de grande porte ainda mantinham em funcionamento programas antigos, em função da confiança adquirida por anos de uso e na sua estabilidade. Para além disso, temiam-se os efeitos que poderiam ser provocados no hardware pelo sistema BIOS, caso este reconhecesse apenas datas de dois dígitos."
Para saber mais, clique nos links acima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade