Tem Física Quântica nas Cores das Penas dos Papagaios

Pesquisadores neozelandeses analisaram a plumagem multicolorida do papagaio-de-nuca-amarela (Amazona auripalliata) com uma técnica chamada espectroscopia Raman e constataram que um pigmento chamado psitacofluvina confere as cores vermelhas ou amarelas às penas conforme a posição da "lacuna de energia" entre as moléculas do pigmento. Ao contrário de outras aves, as cores das penas dos papagaios não dependem de pigmentos derivados de alimentos consumidos em sua dieta e sim de fenômenos quânticos ainda pouco conhecidos.


Ao contrário de outras aves, as cores das penas dos papagaios não dependem de pigmentos derivados de alimentos consumidos em sua dieta. Em outras aves, as cores vermelhas e amarelas da plumagem são dadas por pigmentos chamados carotenóides, que vêm de alimentos. O exemplo clássico é o flamingo, que possui coloração rósea-avermelhada em função de sua dieta composta basicamente de camarão e algas. Em vez disso, os papagaios exibem as tonalidades quentes de sua plumagem a partir de um grupo particular de pigmentos chamados psitacofluvinas
Uma pesquisa da Nova Zelândia publicada na Royal Society Open Science revelou que as penas vermelhas de um papagaio contêm as mesmas moléculas de pigmento usadas para fazer penas amarelas - apenas arranjadas de maneira diferente.A análise a laser da plumagem mostrou que as mesmas moléculas de pigmento podem transformar as penas de um papagaio em amarelo ou vermelho, dependendo de sua disposição
Para o novo estudo, os pesquisadores neozelandeses, liderados pelo físico-químico da Universidade de Otago, Jonathan Barnsley, analisaram a plumagem multicolorida do papagaio-de-nuca-amarela (Amazona auropalliata ). Eles observaram suas manchas amarelas e vermelhas usando uma técnica chamada espectroscopia Raman, que aproveita o fato de as moléculas vibrarem quando iluminadas pela luz do laser. Eles descobriram que as manchas amarelas e vermelhas continham o mesmo tipo de molécula de pigmento de psitacofluvina - uma que geralmente confere uma tonalidade amarelada. O que diferiu, porém, foi como as moléculas foram arranjadas.
No trecho amarelo, as moléculas de pigmento pareciam estar separadas. Mas no vermelho, eles estavam bem aproximadas. Então, como o arranjo mais próximo das moléculas de pigmento amarelo fica vermelho?
Aqui entramos no mundo arrojado da física quântica. Se você mover as moléculas para mais ou para além, o que é chamado de "lacuna de energia" também muda. Essa lacuna afeta quais comprimentos de onda de luz são absorvidos e refletidos ou transmitidos - e muda a cor que vemos.
Durante seu trabalho, Barnsley também notou que as penas de algumas espécies de papagaios absorveram a luz ultravioleta, que é invisível para nós, e a reemitiram como luz colorida visível - conhecida como fluorescência.Como e por que esse fenômeno ocorre é um mistério, mas ele suspeita que essa peculiaridade também depende do arranjo molecular de pigmentos.
Ainda assim, em breve, os cientista pretende saber quão difundido é esse "truque" de pigmentação em papagaios. Barnsley e sua equipe está estudando outras espécies de papagaios usando a técnica da espectroscopia Raman. Os pesquisadores ainda não sabem quais são as vantagens evolutivas desse fenômeno.
Para saber mais , clique nos links acima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

A Importância Ecológica das Baratas

Sensibilidade e Especificidade