Tudo que eu precisei saber aprendi no Jardim de Infância

A maioria das coisas que eu realmente precisava aprender sobre como viver, fazer e ser, eu aprendi no Jardim de Infância. Sapiência não se encontrava no topo da montanha das escolas de pós-graduação, mas na caixa de areia da creche.
Essas são as coisas que aprendi: compartilhe todas as coisas, "jogue limpo" e não bata nos colegas. Não pegue nada que não seja seu, limpe a bagunça que você fez e coloque tudo de volta em seus lugares. Peça desculpas quando você magoar alguém. Sempre dê a descarga e lave as mãos, sobretudo antes das refeições. Viva uma vida equilibrada: além de trabalhar, desenhe, pinte, cante e dance um pouco todos os dias. Lembre-se de que leite frio e biscoitos fresquinhos podem ser bons para você.
Tire uma soneca todas as tardes e, quando sair às ruas, cuidado com o trânsito. Dêem as mãos e permaneçam juntos. Cultive a sua imaginação. Os peixinhos do aquário, os passarinhos da gaiola e as sementes de feijão, todos morrem e nós também.
Recorde-se do grande e melhor conselho da época: Olhe! Olhe ao seu redor! Tudo o que você precisa saber está aí a sua volta. As regras de ouro: paz, amor, ecologia e uma vida saudável!

(Texto de Robert Fulghum, adaptado e traduzido por Paulo R. Motta)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade