Uma Violência que Precisa ser Reprovada

A violência praticada dentro dos colégios vem mudando drasticamente a rotina das instituições de ensino e a vida dos que passam por elas. Há muito tempo que a hora do recreio deixou de ser a hora mais esperada para se tornar a mais temida por muitos estudantes. Diversos casos de violência, intimidação e bullying tem sido relatados em várias instituições do país, muitas até de renome. A violência nos colégios também atinge os professores e não se resume a agressão física. A agressão muitas vezes é simbólica, com brincadeiras, cinismos, xingamentos, difícil de ser caracterizada. Outras vezes é descarada, como é o caso de um aluno da Escola Municipal Professor Moacir de Andrade em Belo Horizonte, o qual foi detido após ter jogado objetos na professora, tentado agredi-la e colocado fogo em seu cabelo. Parece que está havendo uma cultura de violência, patrocinada pela televisão, pelo cinema, por games e, o mais grave, pela própria realidade que cerca o cotidiano dos alunos. A desestruturação familiar também pode ser apontada como um fator para se explicar o problema. O fato é que os professores se sentem acuados, como se vivessem ameaçados, sem preparo para enfrentar alunos mais "desafiadores". E como conseqüência, muitos acabam adoecendo, deprimidos , com crises de ansiedade ou desistem precocemente da carreira. A sensação de impotência é tanta perante aos episódios de violência que muitos professores concordam com a implementação de medidas mais duras e punições mais severas para os alunos, demonstrando claramente que a situação está fugindo ao controle.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade