Bafômetro: Teu Hálito Te Condena

Iniciativas do poder público para prevenir o uso de bebidas alcoólicas por motoristas-causa de muitos acidentes nas estradas do país-trouxeram à ordem do dia , não sem suscitar polêmica, o instrumento popularmente conhecido como "bafômetro". Quando uma pessoa ingere bebidas alcoólicas, o álcool passa rapidamente para a corrente sangüínea, pela qual é levada para todas as partes do corpo. Esse processo de passagem do álcool do estômago/intestino para o sangue leva aproximadamente 20 a 30 minutos, dependendo de uma série de fatores, como peso corporal, capacidade de absorção do sistema digestivo e gradação alcoólica da bebida. A conseqüência é a intoxicação, que varia de uma leve euforia (a pessoa fica alegre) até estados mais adiantados de estupor alcoólico. Como resultado, a capacidade da pessoa para conduzir veículos é altamente comprometida, tendo em vista que a intoxicação afeta a coordenação motora e a rapidez dos reflexos.
De acordo com a legislação brasieira em vigor, uma pessoa está incapacitada para dirigir com segurança se tiver uma concentração de álcool no sangue superior a 0,8 g/L*. O que significa isso? Um homem de porte médio tem um volume sangüíneo de aproximadamente 5 litros. Então, esse teor de 0,8 g/L de sangue corresponde a cerca de 5 mL de álcool puro como limite máximo permitido. Isso corresponde a um copo pequeno de cerveja ou a uma terça parte de uma dose de uísque, considerando a primeira como tendo um teor alcoólico de 32 g/L e o último, 320 g/L. No entanto, pode-se beber um pouco mais do que isso e ainda estar dentro do limite legal, tendo em vista que vários mecanismos no sangue encarregam-se de eliminar do organismo a substância tóxica. Entre os principais sistemas de que o organismo dispõe para purificar o sangue estão:
* eliminação, nos pulmões, pelo ar alveolar;
* eliminação pelo sistema urinário;
* metabolização de etanol, principalmente no fígado;
Os dois primeiros processos respondem por aproximadamente 10% do descarte do álcool no corpo humano. O último, por aproximadamente 90%. A metabolização consiste na oxidação do etanol, um processo relativamente lento, feito em etapas sucessivas e catalisadas por enzimas específicas. Devido a esses (e talvez outros) processos, estudos têm mostrado que uma pessoa de porte médio pode ingerir, num período de aproximadamente 2 horas, 750 mL ( pouco mais que uma garrafa grande) de cerveja ou uma dose de uísque para chegar ao teor de 0,5 g/L (ligeiramente abaixo do limite legal brasileiro).
Afinal, como funciona o "bafometro"? Como o sangue circulante passa pelos pulmões , onde ocorre a troca de gases (hematose), parte do álcool passa para os pulmões. Dessa forma, o ar exalado por uma pessoa que tenha ingerido bebida alcoólica terá a concentração de álcool proporcional à concentração do mesmo na corrente sangüínea (hálito ou "bafo" de bêbado). Embora a existência de álcool no sangue pode ser detectada por uma análise direta do mesmo, é muito mais conveniente detectar o mesmo no ar expirado. Os "bafômetros" ou etilômetros, como são corretamente chamados, têm o seu funcionamento baseado no princípio químico das reações de oxidação e redução.
* Atualmente a quantidade de álcool no sangue tolerada por lei é de 0,2 g/L.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas