Etologia: Os Rugidos de Amor dos Ursos Pandas


Você sabia que a voz de uma mulher se torna mais sedutora quando ela está em seu período fértil, ou seja, durante os dias de sua ovulação? O mesmo acontece com as fêmeas de outros mamíferos, mas até hoje nenhum estudo havia comprovado isto. Agora, cientistas americanos e chineses conseguiram identificar a variação no rugido das fêmeas de pandas gigantes (Ailuropoda melanoleuca) em período fértil e demonstraram que essa mudança também é percebida pelo macho da espécie.
“Os pandas escutam as fêmeas para descobrir qual é a melhor hora para a inseminação”, diz Ben Charlton, biólogo do Zoológico de Atlanta, EUA, e um dos autores do estudo publicado esta semana no periódico científico Proceedings of the Royal Society B. Segundo o pesquisador, o sucesso na reprodução da espécie depende da capacidade dos machos de detectar se um chamado é de uma fêmea fértil ou não.
A mudança na vocalização é fundamental para a perpetuação dessa espécie ameaçada de extinçãoOs pandas são solitários durante a maior parte da vida, exceto na temporada de acasalamento. Nesse período a comunicação sonora é fundamental para que um indivíduo localize o outro e comece o processo de cortejo. As fêmeas de panda só ficam férteis durante dois ou três dias por ano. Por isso a mudança na vocalização é fundamental para a perpetuação da espécie ameaçada de extinção.
“Apesar de o olfato ser importante na comunicação social dos pandas, permitindo que os indivíduos se reconheçam, o som é crucial”, diz Charlton à CH On-line. “Os urros da fêmea de panda são vocalizações agudas produzidas quase exclusivamente durante o período fértil para chamar atenção do macho.”
(assista ao vídeo com o som de pandas gigantes em período fértil clicando no link da Revista Ciência Hoje On Line na coluna da direita e entrando na matéria intulada "Rugido de Amor")
Outros estudos sobre o comportamento vocal de fêmeas em fase fértil já haviam sido feitos. No entanto, segundo os autores do artigo publicado esta semana, essa pesquisa se diferencia porque conseguiu identificar no som emitido pelas fêmeas o padrão que revela o período exato da ovulação.

Pandas na mira de gravador e câmera

Para demonstrar que há variação na estrutura acústica dos rugidos das fêmeas em fase fértil, os pesquisadores americanos recorreram ao Centro de Pesquisa e Conservação do Panda Gigante da China, referência mundial nos estudos da espécie, situado na província de Sichuan, onde vivem alguns dos poucos pandas livres do mundo.
Lá, biólogos gravaram os bramidos produzidos por 14 fêmeas em cativeiro, sozinhas ou interagindo com um macho, durante os períodos pré-fértil e fértil. Para confirmar a fertilidade, as pandas foram submetidas a exames hormonais. Os pesquisadores observaram que, conforme o período fértil se aproximava, as vocalizações aumentavam e se tornavam mais longas, instáveis e ásperas.
Segundo Charlton, essas características podem indicar excitação. “Chamados longos estão associados à urgência e a aspereza é geralmente associada com alta pressão subglótica, o que reflete um chamado com grande motivação”, diz o biólogo.
Depois, os rugidos das fêmeas foram reproduzidos em jaulas de machos. Para analisar as reações dos pandas, os pesquisadores filmaram o comportamento dos animais diante dos diferentes sons. Eles mediram o tempo que cada macho passou na região da jaula mais próxima da origem do som e constataram que eles ficaram mais tempo nessa área quando a vocalização era de uma fêmea em período fértil.
Os pesquisadores observaram o comportamento dos machos em cativeiro quando expostos aos rugidos de fêmeas em período fértil .A capacidade dos pandas de detectar o período fértil de uma fêmea pelo som que ela produz faz sentido adaptativo. “Os chamados da fêmea de panda podem provocar uma competição entre os machos, o que resulta em benefícios indiretos para a perpetuação da espécie”, diz Charlton. O pesquisador explica que, nessa disputa, a seleção natural impera e a fêmea acaba copulando com o macho que melhor interpretar seus chamados.

Ajuda no namoro

Os pandas são conhecidos por seu desinteresse sexual. Em cativeiro é ainda mais difícil que esses animais se reproduzam naturalmente. Ao longo dos anos, pesquisadores já tentaram os mais variados métodos para estimular os animais, como exibir vídeos de pandas copulando e dar Viagra a machos. Mas as tentativas frustradas podem chegar ao fim com essa pesquisa.
Os pandas são conhecidos por seu desinteresse sexual.A maioria dos programas de incentivo à reprodução de pandas em cativeiro não investiga o potencial da comunicação vocal desses animais. No entanto, segundo Charlton, as descobertas de sua pesquisa podem ser usadas para esclarecer melhor a comunicação sexual dos pandas e quem sabe ajudar na reprodução do animal em cativeiro.
“Na maioria dos casos, falhas no acasalamento de animais em cativeiro são atribuídas à falta de interesse sexual dos machos”, explica o pesquisador. “Se estivermos certos quanto aos rugidos das fêmeas de panda, talvez possamos ativar a motivação sexual do macho ao fornecer a ele as gravações de fêmeas férteis.”

Sofia Moutinho

             * Artigo publicado integralmente em 03/12/09 na Revista Ciência Hoje On-line

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas