A Flora Microbiana Normal

Existem grandes quantidades de microrganismos no ar que respiramos, nas superfícies que tocamos e sobre e dentro dos nossos corpos. Os micróbios encontrados naturalmente na superfície e dentro do nosso organismo são conhecidos como flora normal; esses microrganismos concentram-se em algumas regiões do corpo, tais como a pele, a boca e o trato gastrintestinal. Alguns estudos estimaram que a concentração de microrganismos na pele seja superior a 10.000 microrganismos/cm2; raspados retirados da superfície dos dentes ou das gengivas podem mostrar milhões de microrganismos por miligrama de tecido.
O corpo humano e sua flora normal vivem juntos em um tipo de ecossistema cujo equilíbrio é essencial à saúde. Em condições normais, esses microrganismos não são patogênicos e são inofensivos. Na verdade, podem ajudar o organismo competindo pelos nutrientes com os microrganismos que causam doença, ou realizando tarefas especiais; por exemplo, na luz intestinal, os micróbios residentes podem desempenhar várias funções químicas. Além disso, a perturbação da ecologia normal da flora microbiana pode acarretar riscos significativos ao hospedeiro.
Apenas um número relativamente pequeno de algumas espécies de microrganismos que vivem no ambiente conseguem adaptar-se às condições existentes nos vários tecidos do corpo. Assim, até certo ponto, a flora de determinada espécie (mesmo de alguns tecidos específicos do corpo) é previsível.
Ás vezes, os microrganismos que fazem parte da flora normal de uma região do corpo podem atuar como agentes patogênicos, caso sejam transferidos para outra área. Por exemplo, em condições propícias,a bactéria de nome Neisseria meningitidis, que faz parte da flora gastrintestinal, pode causar meningite se for transferida para o canal medular. A Escherichia coli, um tipo de bactéria que também faz parte de nossa flora gastrintestinal normal, pode causar infecção se for transferida, por exemplo através de um cateter urinário.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade