O Mundo É Dos Insetos

Entre os animais  conhecidos da ciência, os insetos são a maioria esmagadora. Os insetos, com 750 mil espécies conhecidas, constituem  a dinastia inconteste dos animais pequenos  e médio pequenos da Terra, e ocupam essa posição desde o final do Período Carbonífero, há mais de 300 milhões de anos. Seus co-regentes do reino vegetal têm sido há 150 milhões de anos as angiospermas , as plantas floríferas, que abrangem cerca de 250 mil espécies, 18% do total de todos os organismos conhecidos.
A imensa diversidade conjunta de insetos e plantas floríferas não é acidental. Os dois impérios são unidos por intricadas simbioses. Os insetos consomem todas as partes anatômicas das plantas e habitam cada um de seus cantos e recantos. Uma grande parcela das espécies de plantas depende dos insetos para polinização e reprodução. Derradeiramente, devem a eles a sua vida, pois os insetos revolvem o solo em torno de suas raízes e decompõem tecidos mortos transformando-os nos nutrientes necessários para que possam continuar crescendo.
Tão importantes são os insetos e outros artrópodes que se todos desaparecessem a humanidade provavelmente não sobreviveria mais do que alguns meses. A maioria dos anfíbios, répteis, aves e mamíferos seriam extintos mais ou menos ao mesmo tempo. Em seguida sucumbiria a quase totalidade das plantas floríferas e com elas , a estrutura física da maioria das florestas e outros habitats terrestres do mundo. A superfície da Terra literalmente apodreceria. À medida que a vegetação morta  fosse se acumulando e secando, fechando os canais dos ciclos de nutrientes, outras formas complexas de vegetação morreriam, e com elas, todos  exceto alguns resíduos esparsos de vertebrados terrestres.
Os artrópodes, portanto, estão em toda parte à nossa volta, dando-nos vida, e nós jamais  medimos seu número. Há muito mais espécies do que as 875 mil que receberam um nome científico até o momento. Estima-se que existem 30 milhões de espécies de artrópodes nas florestas pluviais, das quais a maioria são insetos. A maior parte  da variedade está concentrada nas copas das árvores das  florestas tropicais, locais que tem se mantido inacessível por causa da altura das árvores (30 a 40 metros), da superfície escorregadia dos troncos e dos enxames de formigas e abelhas que lá habitam. E por falar em formigas, elas constituem  quase metade da biomassa total dos insetos e 70% da biomassa dos insetos encontrados nas copas das árvores. Somente na floresta pluvial amazônica, as formigas constituem  mais de 10% da biomassa animal. Isso significa  que  se fôssemos coletar e secar todos os animais de uma área da floresta, de macacos e aves até ácaros e nematóides, pelo menos 10% do peso seria de formigas.

Saiba mais sobre Insetos no Biorritmo:
Ferômonios:  Feromônios: A Atração Química que Rola entre os Insetos (09/05/2009)
O Fim da Picada (08/06/2010)

Por Edward O. Wilson (adaptado), em "Diversidade da Vida"( Ed.Companhia das Letras), capítulo 8 sobre a biosfera inexplorada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas