Exclusão Social Intrauterina

 Pesquisa brasileira mostra que o estresse e a deficiência nutricional da mãe durante a gestação podem causar problemas que dificultam a inclusão futura dos indivíduos na sociedade

Alguns fatores que prejudicam a inclusão dos indivíduos na sociedade podem ter início ainda no útero materno. Pesquisa brasileira mostrou em ratos que o estresse e a deficiência nutricional da mãe podem causar problemas físicos e psicológicos na vida futura dos fetos. Para falar sobre o estudo, o Estúdio CH recebeu a bióloga Patrícia Aline Boer, da Unesp.
Segundo Boer, pesquisadora do Departamento de Morfologia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Botucatu, passar por situações de estresse durante a gestação pode levar ao surgimento de alterações na formação de órgãos e sistemas do feto – entre eles, o sistema nervoso central, os rins e os vasos sanguíneos – que permanecem até a vida adulta. 
Em entrevista a Fred Furtado do Estudio CH , ela mostrou como sua equipe reproduziu condições de estresse nutricional e psicológico nas ratas e explicou os mecanismos bioquímicos capazes de provocar essas alterações no desenvolvimento do feto. 
Boer disse que as consequências dessas alterações são a formação de indivíduos mais estressados e ansiosos, o aumento da pressão arterial na idade adulta, problemas cardíacos e até maior propensão ao uso de drogas e à depressão. 
A pesquisadora falou ainda sobre outros estudos que mostram os efeitos do estresse durante a gestação e a amamentação e até do cuidado com a prole sobre o desenvolvimento físico, mental e psicológico e o perfil comportamental do adulto.
Para acessar a página do estúdio CH e ouvir a entevista na íntegra, clique aqui

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas