O Minimundo da Nanotecnologia

Nanotecnologia é entendida como o ramo da ciência que estuda novos materiais ou o comportamento dos mesmos em nanoescala. A escala nanométrica engloba materiais ou dispositivos que se encontram na dimensão entre 1-10 nm. Imagine que é um bilionésimo do metro, algo muitíssimo pequeno. São medidas tão pequenas que não são visíveis a olho desarmado. São necessários microscópios eletrônicos que permitam a observação ou noção de átomos e moléculas. Apesar de  a nanotecnologia ser fruto da contribuição de pesquisas multidisciplinares envolvendo químicos, físicos, biólogos, farmacêuticos, médicos,engenheiros de materiais e matemáticos, quando se fala em átomos e moléculas nos remete automaticamente à química.
Os profissionais específicos da área de nanotecnologia nem sempre destinam seus esforços na criação de novos materiais, mas também lançam mão daqueles que já são conhecidos. Por que? Porque em escala nanométrica as propriedades físicas e químicas dos materiais são particulares e diferenciadas. As contribuições da nanotecnologia não se restringem única e exclusivamente à redução do tamanho de aparelhos eletrônicos : suas aplicações podem ser nas mais diversificadas áreas, como medicina, aeronáutica, cosméticos, meio ambiente, agricultura e segurança nacional. 
O mercado já dispõe de vários produtos baseados em nanotecnologia, como é o caso dos filtros solares, que, além do efeito protetor , não apresentam o inconveniente espalhamento e características sensoriais  de produtos tradicionais. Algumas roupas infantis dispõem desse tipo de tecnologia, evitando que as mesmas molhem com escapes de urina frequentes em crianças.
Dentre as contribuições de pesquisa envolvendo nanotecnologia desenvolvida por pesquisadores brasileiros, temos pequenas máquinas que podem ser movidas a energia solar, através de filmes de moléculas de clorofila, evitando o consumo de pilhas e baterias, as quais constituem um grande problema ambiental, pois são constituídas de resíduos contendo metais tóxicos e não-biodegradáveis.
Ainda do ponto de vista ambiental, tem-se a possível contribuição dos nanoimãs em áreas poluídas com derramamento de petróleo. Outra importante aplicação é na produção da língua eletrônica, a qual tem grande importância para a indústria alimentícia, como é o caso do controle de qualidade de vinhos, café e água mineral. esse equipamento supera em todos os aspectos as análises tradicionais sensoriais.
Uma área em que a nanotecnologia será muito promissora é a farmacêutica. Inúmeros fármacos disponíveis no mercado apresentam efeito colateral e um exemplo é o uso de quimioterápicos por pacientes com câncer. Com o desenvolvimento de nanocápsulas,os medicamentos podem ser incorporados em doses muito menores, tornando o tratamento menos agressivo e mais preciso.
É notória e incisiva inclusão de materiais e dispositivos em nanoescala em nosso cotidiano. No entanto, um questionamento que devemos fazer é com relação à falta de conhecimento daquilo que fazemos uso. E como isso pode e deve ser feito? Com certeza, uma das melhores formas é por meio da educação. A inclusão do tema nanotecnologia no ensino médio contribuirá consideravelmente para a difusão do conhecimento científico, bem como despertará interesse dos alunos na área de ciência e tecnologia. Infelizmente, ainda são incipientes os livros destinados ao ensino médio a respeito da nanotecnologia e a compreensão da escala nanométrica é um obstáculo para o entendimento dessa tecnologia.

 Por Miriam  Sannomiya (adaptado), artigo publicado na revista "Carta na Escola", edição n° 49 de setembro de 2010 sob o título de "Um Novo Minimundo"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas