A Diminuição dos Peixes

Pesca ultrapassa os limites da sustentabilidade e população de peixes diminui em 60%



Um novo estudo mostra que o impacto da pesca do atum e espécies semelhantes durante os últimos 50 anos diminuiu a abundância de todas essas populações por uma média de 60%.
Especialistas acrescentam que a maioria dos peixes de atum tem sido explorada para além dos limites da sustentabilidade.
O debate sobre o impacto da pesca nas espécies diferentes já dura 50 anos. As populações que tiveram sua abundância mais afetada foram os atuns de água fria, como o atum-rabilho, que diminuíram 80%. Essas espécies são grandes, de longa duração e de grande valor econômico.
Cavala, um peixe menor com ciclo de vida mais curto, também experimentou uma redução significativa em abundância.Nos últimos 20 anos, houve uma redução de 90% na quantidade de cavalinhas, com estoques caindo de 30 milhões de toneladas a menos de três. De 2006 até 2011, a queda foi de 63%.  Essa informação sugere que a pesca pode ser uma ameaça a todas as espécies, independentemente da sua dimensão.
Um estudo publicado na revista Nature em 2003 concluiu que a abundância de peixes pelágicos, principalmente o atum, havia reduzido em 90% no século passado. Relatório publicado pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) diz que as frotas de navios pesqueiros são 2,5 vezes maiores que o ideal. desde então, as embarcações têm ficado ainda maiores e numerosas. O temor de especialistas é que, sem qualquer regulamentação internacional, a pesca comercial seja devastada pela retirada de mais do que a natureza é capaz de oferecer.
Os cientistas acreditam que a gestão de pescas precisa melhorar. Os peixes com maior valor econômico são os mais sobre-explorados. Há claramente pessoas que se beneficiam economicamente da pesca ilegal de atum-rabilho, caso em que o comércio internacional vai além das normas internacionais de pesca, que são geralmente eficazes.
As organizações de gestão de pesca não devem apenas usar seus recursos para gerenciar as espécies de alto valor, como o atum grande, mas também para as espécies de menor valor econômico, que são importantes, pois são uma grande fonte de proteína para muitos países.
Os pesquisadores dizem que esforços sérios e ações eficazes são necessários para reduzir a pesca excessiva global, para recuperar populações sobre-exploradas e para regulamentar o comércio que as põe em perigo. Só assim poderemos garantir capturas maiores, lucros financeiros estáveis e redução do impacto nos ecossistemas marinhos.

Fonte: Hypescience

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas