Estimulando o Cérebro com Corrente Elétrica

Estudo de Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua atinge 50% de sucesso no tratamento da depressão.O estudo também identificou melhoras da atenção e do processamento de informações

"Estimular o cérebro com uma fraca corrente elétrica é um tratamento seguro e eficaz para a depressão e pode ter outros benefícios para o corpo e para a mente." A afirmação vem do que está sendo considerado o maior e mais definitivo estudo de Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (tDCS).
Pesquisadores da University of New South Wales (UNSW), em Sidney, Austrália, e do Black Dog Institute, descobriram que quase 50% dos participantes deprimidos apresentaram melhoras significativas após o tratamento.
Uma forma não-invasiva de estimulação cerebral, a tDCS, passa uma corrente elétrica despolarizante na parte frontal do cérebro por meio de eletrodos no couro cabeludo. Os pacientes permanecem acordados e alertas durante o procedimento.
"Estamos entusiasmados com estes resultados. Este é o maior ensaio clínico randomizado de tDSC já realizado e, apesar de os resultados precisarem ser replicados, eles confirmam relatos anteriores de efeitos antidepressivos significativos", disse a líder do estudo, a professora Colleen Loo, da Faculdade de Psiquiatria da UNSW.
O ensaio observou 64 participantes deprimidos, que não obtiveram sucesso em pelo menos dois outros tratamentos da depressão, recebendo ETCC ativa ou placebo durante 20 minutos todos os dias por até seis semanas.
"A maioria das pessoas que entraram neste ensaio havia tentado pelo menos dois outros tratamentos antidepressivos sem chegar a lugar algum. Assim, os resultados são muito mais significativos do que poderiam parecer inicialmente. Não estávamos lidando com pessoas fáceis de tratar", disse a professora Loo.
Segundo o estudo, os resultados após seis semanas eram melhores do que em três semanas, sugerindo que o tratamento é melhor aplicado durante um período prolongado. Aos participantes que melhoraram durante o ensaio foi oferecido acompanhamento semanal de tratamentos de 'reforço', com cerca de 85% não apresentando nenhuma recaída após três meses.
"Estes resultados demonstram que sessões múltiplas de tDCS são seguras e não se associam a quaisquer resultados cognitivos adversos ao longo do tempo", disse a professora Loo, acrescentando que as tDCS são simples e com boa relação custo-benefício para entregar, necessitando de uma breve visita à clínica.
O estudo também mostrou benefícios adicionais inesperados como a melhora da atenção e do processamento de informações. "Um participante com um problema de leitura de longa data disse que sua leitura havia melhorado após o ensaio e os outros comentaram que eles conseguiam pensar mais claramente. Outra participante com dor cervical crônica relatou que a dor tinha desaparecido durante o ensaio. Acreditamos que isto foi possível porque as tDCS realmente mudam a percepção de dor do cérebro", disse Loo.
Os pesquisadores estão buscando agora um ensaio adicional para incluir pessoas com transtorno bipolar, com os primeiros resultados no exterior sugerindo que a tDCS é eficaz da mesma forma neste grupo.

Fonte: BAYLOR COLLEGE OF MEDICINE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas