Aulas de Harvard em Português? Isto é Veduca!

Engenheiro brasileiro criou um portal que traduz aulas das melhores universidades do mundo e as disponibiliza gratuitamente na internet.

O movimento de ‘cursos abertos’ é conhecido no mundo inteiro. Com as facilidades digitais e de plataformas na internet que suportam vídeos com horas de duração, basta ter uma câmera e alguma boa vontade para gravar um curso inteiro – seja uma aula introdutória de álgebra, em Stanford, ou literatura estadunidense, em Yale.
Vários portais, entre eles o YouTube, compilam esses vídeos educacionais. No Brasil, a ‘moda’ ainda não pegou e são poucas as universidades que abrem, ao menos, parte de suas aulas – a Universidade Estadual de Campinas e a Fundação Getúlio Vargas são exceções.
Com esse cenário à frente – e a dicotomia do que acontece no mundo e no Brasil em mente –, o engenheiro formado pelo Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) Carlos Souza colocou no ar há um mês e meio, com outros três sócios, o Veduca (acrônimo para vídeo + educação), portal brasileiro que agrega quase 5 mil aulas de universidades ao redor do mundo; Harvard, Columbia, Yale e Stanford são algumas das 11 instituições contempladas. No portal, é possível assistir a aulas de professores consagrados e, até mesmo, uma tradução do famoso curso de Dalai Lama, em Stanford, sobre compaixão.
Dez tradutores foram contratados para legendar as aulas e, até agora, 100 estão traduzidas. No entanto, Souza diz  que o Veduca ‘mira alto’ e que, para o final do ano, quer ao menos metade das aulas com texto em português. Terá ajuda extra, pois há duas semanas resolveu abrir a possibilidade de legendagem colaborativa. 
No Brasil, esse movimento ainda está engatinhando, disse o engenheiro em entrevista à coluna Alô, Professor da Ciência Hoje On-Line. O primeiro motivo: apenas 2% da população falam inglês a ponto de entender uma aula com conteúdo mais aprofundado. E as universidades brasileiras, com exceção de algumas poucas, não abraçaram a ideia de 'curso aberto'. Por isso, achamos que seria uma boa oportunidade disponibilizar essas aulas com legenda, nosso país precisa muito. Temos planos, e já conversamos com algumas universidades nacionais, de filmar aulas aqui no Brasil e disponibilizar, gratuitamente, no Veduca. É uma forma de começar o processo de curso aberto no Brasil.

Em outra parte da entrevista, Carlos Souza emite uma opinião sobre a circulação de informações na internet: "Achamos que a internet precisa de curadoria, de editores. Pessoas que escolhem, num mar de informação, aquilo que é bacana. Outro dia estive com o pessoal da Veja. Eles têm vídeos sensacionais no Youtube mas com pouquíssimos acessos. Porque a mentalidade de quem entra no YouTube não é, necessariamente, a de aprender. Quando se cria grandes plataformas, perde-se um pouco do foco. Seu usuário acaba não se encontrando no portal. 
E acrescentou: "Temos o nosso objetivo definido: educação. Somos uma comunidade educacional. E não concordo com os extremos: 100% colaborativo ou 100% fechado. Buscamos uma parceria com a comunidade, mas com uma visão editorial definida. Acho que é esse o futuro da informação."
Assista uma aula legendada no Veduca
Fonte: Ciência Hoje On-Line (adaptado)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade