Divulgando Ciência nas Redes Sociais



A troca de informações e ideias entre cientistas já está fora dos periódicos científicos e quem não estiver conectado pode ter um atraso de semanas em uma discussão acadêmica, diz Luiz bento, cientista, blogueiro e colunista da CH On-Line


Sob o título de "A Ciência Acontece Fora do Papel", o colunista da Ciência Hoje On-Line e pós-doutorando do Instituto de Biologia da UFRJ, Luiz Bento defende a importância do uso das redes sociais para discussões acadêmicas e divulgação científica. "Se no passado tudo que acontecia de importante na ciência estava nos periódicos, hoje a dinâmica é outra", diz o colunista. Muitas discussões cientificamente relevantes acontecem nas redes e estar fora delas pode significar desatualização. Luiz Bento participa de várias redes sociais. Para o biólogo, ferramentas como os blogues podem ajudar o pesquisador a se comunicar melhor fora do meio acadêmico. Ele próprio se tornou um ativo divulgador de ciência.Veja o que ele diz num trecho da matéria: 
"Ainda há pouco, era difícil a vida dos cientistas que tentavam adaptar o conteúdo de suas pesquisas para o mundo lá fora. Somos treinados para escrever de forma simples, direta, chata e cheia de jargões. Toda a nossa criatividade e liberdade poética das aulas de literatura do colégio são esmagadas pelo formato comum dos periódicos científicos. Dessa forma, mudar a maneira com que escrevemos é uma tarefa difícil e pode ficar ainda menos atrativa pela falta de incentivo das agências financiadoras.
Nesse contexto inóspito para a divulgação científica, as redes sociais podem se tornar uma ferramenta muito importante. Mesmo que nem todos tenham o dom de Carl Sagan, treino é a base para formar bons escritores e também leitores. Blogues são gratuitos e podem ser o caderno de rascunho ideal para a mudança de linguagem. O Twitter, devido à limitação de caracteres, é um ótimo treino para concisão. O Facebook ou Google+, pelo uso de ferramentas de vídeo, fotos e grupos, trazem a experiência de integração de mídias. 
No admirável mundo novo, onde a divulgação científica entrou até no Lattes (de forma tímida, diga-se de passagem), os laboratórios que contam com alunos conectados em redes sociais estão no caminho certo. Porque ciência não se faz mais apenas nos periódicos científicos. E as salas de convivência dos laboratórios onde as melhores ideias são criadas, discutidas e compartilhadas agora não têm muros.Tenha a certeza de que um aluno conectado nas redes sociais pode se tornar um pesquisador muito mais completo, já que terá um maior potencial para realizar uma importante função de todo cientista: levar o conhecimento produzido na universidade para quem financia o seu trabalho."

Comentários

  1. Concordo plenamente. Recentemente eu e alguns amigos criamos um blog com o objetivo de divulgar ciência.. E dos meus primeiros posts tratei de como a divulgação da ciência esta mudando principalmente por ser afetada diretamente pela tecnologia.

    http://prismacientifico.wordpress.com/2012/06/10/o-futuro-da-divulgacao-cientifica/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade