A Utilidade das Fezes dos Animais

Os livros da foto foram feitos com papel fabricado a partir da fezes de elefantes. O uso desse tipo de papel pode evitar que muitas árvores sejam derrubadas (Foto: Flickr, por Roberta Cortese)


Quem pensa que as fezes dos animais só servem como adubo está muito enganado. Lendo uma matéria na revista Ciência Hoje das Crianças descobri que as fezes dos animais podem ter outros destinos bem inusitados do que simplesmente virar adubo. O título da matéria já chama logo a atenção: "Cocô, pra que te quero" e segue esclarecendo que as fezes dos animais podem ter mil e uma utilidades. Vejamos alguns exemplos retirados da matéria.

O elefante, animal que, por comer apenas plantas, produz fezes cheias de fibra vegetal, que é a matéria-prima do papel. Diariamente, cada elefante produz 100 quilos de excrementos que podem gerar até 115 folhas de papel. Mas, se algum dia você receber uma carta escrita em uma folha feita de caca de elefante, não precisa tampar o nariz: antes de virar papel, as fezes são fervidas para matar as bactérias que causam o típico cheirinho de cocô.
Além do elefante, o cachorro é outro bicho que produz fezes pra lá de proveitosas. Na cidade de Gilbert, nos Estados Unidos, existe um parque que recebe 200 cães todos os dias e arrumou um bom destino para a caca que eles fazem: transformar em energia elétrica.
Segundo o engenheiro ambiental Kiril Hristovski, da Universidade do Estado do Arizona, isso só é possível graças a microrganismos presentes nas próprias fezes. “As bactérias se alimentam delas e produzem metano, que serve de combustível para acender as luzes do parque”, conta. Além de evitar que algum desavisado pise no cocô, a técnica impede que o metano, um gás muito poluente, vá para a atmosfera.
De acordo com a matéria, outro animal que produz fezes de grande utilidade é a baleia. Segundo o biólogo Steve Nicol, da Universidade da Tasmânia, na Austrália, esse animal se alimenta de grandes quantidades de krill, um invertebrado que tem muito ferro em seu corpo. “As fezes da baleia azul também ficam cheias de ferro e adubam o fundo do mar, já que o ferro é um nutriente essencial para o crescimento de algas”, explica.
Steve conta que ninguém sabe a quantidade de excrementos que  as baleias produzem, mas acredita-se que seja um bocado. “A baleia azul come de uma a duas toneladas de krill todos os dias. Boa parte disso entra pela boca e sai pelo outro lado!”, brinca o pesquisador.
Já que o assunto foi para esse lado, deixa eu comentar sobre um matéria que eu publiquei em novembro de 2010. Diz a postagem: cientistas americanos estão usando cachorros para ajudar na preservação da população de baleias no Oceano Pacífico. E sabem para que? Os cães são treinados para detectar fezes da baleia na água.
Como as fezes boiam por, no máximo, 45 minutos antes de afundar entre as ondas, o trabalho dos cães é fundamental. Se as condições de vento forem ideais, eles podem farejá-las a a mais de 1,6 mil metros de distância e guiar o barco até lá. Quanto mais amostras forem coletadas, mais robustas são as conclusões sobre o que está afetando as baleias.
"Como você estuda uma baleia de 50 toneladas? Você não pode pegar o animal, e fazer um exame físico. Então, a única coisa que sabíamos que podíamos conseguir eram amostras de fezes, porque isso já havia sido feito nos anos 80 para estudar a dieta das baleias"-explicou Roz Rolland, do New England Aquarium, em Boston, E.U.A, pioneiro no uso da técnica.
O material coletado contém informações sobre os níveis de estresse e fertilidade da baleia, sua nutrição e a exposição do animal à poluição. Legal, né? Mas, já chega desse assunto escatológico, não é mesmo?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade