Magnata Islandês Mata Baleias Para Alimentar Cachorros

Islândia se prepara para início de temporada de caça de baleias-fin para consumo e exportação da carne para o Japão. Lá, a carne de baleia é usada como alimento para cães. Na foto, baleeiros cortam uma baleia-fin de 35 toneladas capturada a bordo de um barco islandês.

As baleias-fin são gigantes mágicos do mar. Estas criaturas majestosas são o segundo maior animal do planeta, e podem atingir o tamanho de 3 ônibus, ao passo em que se movem rapidamente na água. A incrível combinação de suavidade, elegância e velocidade lhe fizeram ganhar o apelido de "cães galgos do mar". Mas em questão de dias, mais de 180 animais dessa espécie ameaçada correm o risco de serem abatidos por um magnata e seus parceiros. Sua diversão de verão é caçar as baleias usando arpões, cortá-las em pedaços e enviar a carne para o Japão, passando pela Holanda, para ser usada na alimentação de cães.

Tragicamente, caçadores como o magnata Kristjan Loftsson têm abatido centenas de milhares de baleias e mais de 70% da população mundial destes animais foi dizimada. Mas desde que a Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies Ameaçadas e a Comissão Baleeira Internacional impuseram uma proibição sobre essas atividades, a espécie tem crescido em números.
Duas embarcações estão sendo preparadas para a caça e irão para o mar no início de junho de 2013, disse Kristjan Loftsson, diretor executivo da Hvalur, a única empresa que captura os mamíferos gigantes. As informações são do site Courier Mail.
“Possivelmente, serão 154 baleias, cerca de 20 por cento a mais da cota da última temporada” declarou à emissora pública islandesa RUV.
A empresa de Loftsson capturou 148 baleias-fin em 2010, mas nenhuma em 2011 e em 2012 devido à desintegração do seu único mercado, o Japão, quando o país foi atingido por terremoto e tsunami.
A maior quantidade de carne de baleia deste ano seria exportada para lá, disse Loftsson.
A baleia-fin é a segunda maior espécie depois da baleia azul. A Islândia também caça baleias-minke, uma espécie menor.
Em 1986, a Comissão Baleeira International impôs uma moratória global sobre a caça, em meio alerta sobre o declínio da população de mamíferos marinhos. A Islândia, que retomou a caça comercial de baleias em 2006, e a Noruega, são os únicos dois países que ainda praticam a atividade, desafiando a moratória.
O Japão também caça baleias, mas insiste que é somente para fins científicos, mesmo que a maior parte da carne seja destinada para consumo.
Em 2011, os Estados Unidos ameaçaram a Islândia com sanções econômicas sobre a caça comercial, acusando o país de minar esforços internacionais que visam à preservação dos gigantes do oceano.
Mas o presidente Barack Obama interrompeu as sanções, e apenas solicitou às autoridades da capital islandesa Reykjavik o fim da prática.
Ativistas ambientais denunciaram recentemente que carnes de baleias ameaçadas de extinção capturadas por caçadores da Islândia estão sendo vendidas no Japão como guloseima de luxo para cães.
A empresa Michinoku Farm, com sede em Tóquio, oferece mordedores feitos com carne de baleia do Atlântico Norte em sua página na internet, esclarecendo que o produto tem "baixo nível calórico, pouca gordura e alto índice de proteínas". O site também comercializa alimentos supostamente feitos com carne de cavalos da Mongólia e cangurus.O grupo ambientalista japonês Ikan afirmou que esse tipo de comércio é a pior forma de consumismo.
Diversos grupos ambientalistas têm se mobilizado através de assinaturas de petições ao governo  holandês a fim de evitar o massacre. Segundo eles, a melhor maneira de impedir esse massacre é expondo o primeiro-ministro holandês Mark Rutte, que permite o tráfico de carne de baleia pela cidade de Roterdã, e fazê-lo rejeitar esse carregamento sangrento. Acrescentam ainda que os holandeses têm uma enorme preocupação com sua reputação de protetores do meio ambiente, e não podem deixar que esse comércio sangrento chegue aos olhos da comunidade internacional. Os ativistas ameaçam expor a participação da Holanda nessa carnificina e exigir que as autoridades holandesas rejeitem a movimentação de carne de baleia nos portos do país, impedindo desta forma o massacre.
Se você tem interesse em assinar uma petição contra o massacre das baleias, acesse:

Fontes: Portal G1 e Agência Anda (Agência de Notícias de Direitos Animais)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas