O Sapinho das Bromélias

Endêmico do norte de Minas Gerais, o sapinho das bromélias recentemente foi reconhecido como uma nova espécie de anfíbio

Do tamanho de uma unha, o sapinho das bromélias só existe no norte de Minas Gerais e recentemente foi reconhecido como uma nova espécie. Nunca antes registrado no mundo, o Crossodactylodes itambe foi encontrado por acaso pela bióloga Izabela Menezes Barata, do Instituto Biotrópicos, em uma expedição no Parque Estadual Pico do Itambé, na Serra do Espinhaço. A pesquisadora investigava a influência da altitude na distribuição de anfíbios na região, quando localizou os animais nas folhas de bromélias, plantas capazes de reter a umidade e, por isso, propícias para abrigar os sapos em um ambiente que tende a ser seco. 
Foram necessários três anos para coletar os sapos e catalogar a espécie. Os sapinhos medem 15mm e não têm saco vocal, o que revelou que não cantam, como a maioria das espécies, para iniciar o acasalamento. Tudo indica que espinhos no dedão do macho servem para auxiliar na reprodução. Acinzentados, habitam as bromélias por toda a vida e são encontrados em uma área de apenas 0,1km². A alimentação deles ainda é desconhecida. 
Fonte: Correio Braziliense

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade