Ciência Ilustrada

O biólogo e ilustrador português Pedro Salgado fala da importância da ilustração na divulgação científica e defende a incorporação das novas tecnologias digitais no processo de criação das imagens. Na foto: ilustração em aquarela de um polvo feita por Salgado

Em entrevista à Ciência Hoje On-line (publicada em 08/01/2014) , o biólogo e renomado ilustrador científico português Pedro Salgado avaliou os desafios e perspectivas do campo e mostrou que, mesmo na era da tecnologia, a ilustração tem lugar garantido na ciência e na educação – e ainda pode se aproveitar muito dos recursos digitais. 
Conforme informações da CH, Salgado é coordenador e docente do mestrado em ilustração científica do Instituto Superior de Educação e Ciências (Isec), único dedicado à ilustração em Portugal. Em seus mais de 20 anos de experiência como ilustrador, teve uma série de ilustrações premiadas internacionalmente, é autor de cerca de uma centena de selos e foi um dos principais responsáveis por formar novas gerações de ilustradores científicos em Portugal, como Marco Correa e Diana Marques.
Na entrevista, ele discutiu o lugar da ilustração científica hoje e apontou os principais desafios impostos pelos novos tempos.
Pedro Salgado disse que "a ilustração está baseada em um processo que não é só artístico. Ela representa uma forma de ver, de apreender a realidade, é uma forma de conhecimento. É claro que as técnicas modernas de visualização também são, mas são de natureza diferente. A ilustração científica permite interpretar a realidade, coisa que a fotografia e o vídeo não fazem, eles só estão a apanhar o que lá está. O desenho é capaz de interpretar e fazer notar coisas que poderiam ser difíceis de observar ou de entender. Ou seja, o desenho é um processo de interpretação e de explicação, não só de representação."
Quando perguntado sobre qual espaço a ilustração científica ocupa, se o da arte ou  o da ciência, ele respondeu: "Existe uma zona de interseção, que é onde trabalha o ilustrador científico. Ele não é só artista, mas também não é só cientista, está numa posição privilegiada para comunicar ciência através da imagem que cria. Por isso, ele tem que conhecer as duas linguagens, tem que dominar o desenho e também entender a linguagem científica, para trabalhar junto com o pesquisador. Quando observamos os trabalhos apresentados em congressos internacionais de alto nível, há uma grande preocupação com o conteúdo, mas quase nenhuma com a forma. A questão é que, muitas vezes, isso poderia facilitar a comunicação daquela ciência."
Em relação à incorporação das novas tecnologias no campo da ilustração cientifica, Salgado argumentou: " Em qualquer área é preciso se adaptar às novas tecnologias e aos novos formatos, aprender a lidar com eles e se beneficiar deles. O ilustrador também precisa se adaptar aos formatos digitais. Temos que pensar em utilizar alternativas que não se limitem à imagem bidimensional. Hoje em dia há tantas possibilidades disponíveis: imagens em três dimensões, animação... Cada vez mais será preciso conhecê-las."
O entrevistador pediu a opinião de Pedro Salgado sobre a perspectiva de futuro para o campo da ilustração científica. O ilustrador respondeu: A ilustração científica está crescendo muito, as novas tecnologias abriram as portas de um mercado internacional. É preciso se adaptar a elas, mas vejo tudo isso com muito otimismo. Penso que, enquanto houver ciência, tem que haver comunicação. E enquanto houver comunicação, a imagem sempre será fundamental. Então, enquanto houver ciência, haverá a ilustração científica. Muita gente pensa que ilustração científica se resume à publicação de material científico, mas isso é apenas uma pequena parte. A outra parte, que eu penso ser muito maior, é a divulgação da ciência para o grande público. É nisso que a ilustração científica tem um papel muito importante."
Fonte: Ciência Hoje On-Line ( Clique no link e veja a entrevista na íntegra)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas