Você é a Favor da Liberação da Maconha Medicinal?

Casal brasileiro entra na Justiça pelo direito de importar um medicamento derivado da maconha para o tratamento da doença rara de sua filha. A Anvisa não permite o uso desses medicamentos no Brasil.

Deu no Fantástico (Rede Globo, 30/03/2014): Pais lutam na Justiça por liberação de remédio derivado da maconha. O casal brasileiro Norberto e  Katiele Fisher decidiram importar ilegalmente dos Estados Unidos um medicamento derivado da planta Cannabis sativa, a popular maconha, como uma medida desesperada para o tratamento de sua filha Anny, que sofre de uma doença rara. A menina de 5 anos é  portadora de patologia muito rara, caracterizada por um quadro clínico com distúrbio psicomotor decorrente de uma patologia cerebral. E que, dentre os sintomas, tem crises convulsivas resistentes a todas as medicações possíveis no país.

Acontece que o único remédio que funciona no tratamento de Anny é um derivado da maconha e, portanto, ilegal no Brasil. O Canabidiol, ou CBD, é uma das mais de 400 substâncias encontradas na maconha. Só que, muito diferente da droga fumada, o composto não altera os sentidos, nem provoca dependência.
Nos últimos 45 anos, as pesquisas têm demonstrado uma vasta gama de efeitos farmacológicos do canabidiol, muitos dos quais são de grande interesse terapêutico, que ainda necessitam ser confirmados por estudos clínicos. Nos últimos cinco anos têm ocorrido um notável aumento de publicações sobre o canabidiol, principalmente estimulado pela descoberta dos seus efeitos anti-inflamatório, anti-oxidativo e neuroprotetor. Estes estudos têm sugerido uma vasta gama de possíveis efeitos terapêuticos da canabidiol em várias condições, incluindo doença de Parkinson, doença de Alzheimer, isquemia cerebral, diabetes, náusea, câncer, artrite reumatóide e outras doenças inflamatórias.
“Quando a gente ficou sabendo do CBD, que nós decidimos importar, nós tínhamos a consciência que era um produto derivado da Cannabis sativa e por esse motivo ilegal no país. Mas o desespero de você ver a sua filha convulsionando todos os dias a todos os momentos, nós resolvemos encarar e trazer da forma que fosse necessária, mesmo que fosse traficando”, conta a mãe da Anny.
O CBD e outros derivados da maconha já são usados em vários países da Europa e em boa parte dos Estados Unidos para tratar doenças como Parkinson, esclerose múltipla e combater sintomas da Aids e do câncer.
O pesquisador José Alexandre Crippa da USP, de Ribeirão Preto, é um dos poucos que conseguiram autorização para trazer e estudar o CBD no Brasil. “Eu sou totalmente a favor do uso medicinal do Canabidiol e sou absolutamente contra o uso da maconha da forma fumada, porque não se sabe a quantidade que tem de Canabidiol”, explica Crippa. Mas ele defende o uso de derivados que estão beneficiando pacientes como Anny. “Essa menina passou de 80 crises até zero crise, 80 crises por semana até zero crise por semana, o que é absurdo em termos clínicos, ainda mais se considerando que é um tipo de epilepsia muito grave” diz José Alexandre.
Para a Associação Brasileira de Psiquiatria, ainda faltam evidências de que o Canabidiol funcione e não traga prejuízos à saúde. A Anvisa, a agência que regula medicamentos, proíbe o uso dos derivados da maconha.
Os pais de Anny entraram com uma ação na Justiça para terem o direito de importar, legalmente, o medicamento para a filha. E vão divulgar um documentário que fizeram para trazer à tona um assunto envolto em polêmica, falta de informação e muito sofrimento. O documentário lançado semana passada é parte de uma campanha e de uma discussão que envolve preconceito, ciência e saúde: o uso medicinal da maconha. Os pais de Anny descobriram o CBD na internet. E você, é a favor ou contra a liberação de medicamentos derivados da maconha para uso medicinal? Deixe seu comentário.
Para saber mais sobre o canabidiol:
ZUARDI, Antonio Waldo. Cannabidiol: from an inactive cannabinoid to a drug with wide spectrum of action. Rev. Bras. Psiquiatr. [online]. 2008, vol.30, n.3, pp. 271-280. ISSN 1516-4446.
Fonte: Portal G1

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas