Por Dentro da Biblioteca Flutuante de Darwin

Projeto disponibiliza a reprodução digital do acervo da biblioteca flutuante do navio Beagle, embarcação onde o naturalista Charles Darwin realizou as suas viagens ao redor do mundo buscando fundamentos para a teoria da seleção natural 

O projeto Darwin Online, famoso por reproduzir digitalmente cartas, manuscritos e outros trabalhos do naturalista inglês Charles Darwin (1809-1882), está lançando agora em versão digital,  incrivelmente ilustrada e detalhada, as 181 obras que compunham a biblioteca flutuante do navio HMS Beagle. Localizada na parte traseira do navio, a biblioteca do Beagle foi uma fonte importante de pesquisa e inspiração para o jovem Darwin. A coleção, organizada em mais de 400 volumes, era composta de relatos de viagens expedicionárias (36%), livros de história natural (33%), geologia (15%), cartografia (7%), literatura (4%), referência (3%) e história (2%).
Charles Darwin passou quase cinco anos à bordo do HMS Beagle, entre 1831 e 1836, navegando ao redor do mundo, observando uma enorme variedade de animais, plantas, culturas, ecossistemas, fósseis e formações geológicas; e formulando ideias sobre como diferentes espécies surgem e evoluem no planeta Terra (que hoje sabemos ser por meio dos processos de seleção natural; graças a ele, Alfred Russel Wallace e vários outros cientistas/naturalistas que contribuíram para a construção desse conhecimento ao longo dos últimos 150 anos).
Segundo o blog de Herton Escobar no Estadão, fonte desta postagem: "Todos nós sabemos o que Darwin escreveu depois daquela incrível viagem. Mas o que será que ele leu a bordo do Beagle durante todo aquele tempo no mar?"A republicação da biblioteca do navio em versão digital é uma ótima oportunidade de conferir quais foram as fontes de inspiração do naturalista.

A biblioteca era composta por obras que pertenceram ao capitão FitzRoy e outros oficiais a bordo do navio. Inicialmente havia um catálogo que não sobreviveu ao tempo. Assim, o conteúdo da biblioteca permaneceu como um mistério durante muitos anos.
 O acervo da biblioteca do Beagle foi dispersado em outubro de 1836 quando a viagem terminou . Agora, 178 anos depois, foi eletronicamente reconstruído como parte do projeto Darwin online . O projeto da biblioteca levou dois anos e foi financiado por um Fundo de Pesquisa Acadêmica concedido pelo Ministério da Educação do Governo de Singapura e apoiado pelo Gabinete do  Decano da Faculdade de Ciências, pela Universidade Charles Darwin e pela Fundação Universidade Charles Darwin, localizada na Austrália. O projeto é dirigido por John van Wyhe, que foi o  primeiro historiador a propor a reconstrução da biblioteca do Beagle em 2006 enquanto fazia a edição dos cadernos de campo da embarcação..

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas