A Evolução Expressa dos Lagartos da Flórida

Espécie invasora de lagarto cubano estaria condicionando uma espécie nativa de lagartos da Flórida (EUA) a desenvolver modificações estruturais em suas patas traseiras como uma adaptação para busca de novos refúgios


Os cientistas que trabalham em ilhas da Flórida têm documentado a rápida evolução de uma espécie de lagarto nativo - em menos de 15 anos - como resultado da pressão seletiva de uma espécie invasora de lagarto trazida de Cuba.

Após contato com as espécies invasoras, os lagartos nativos começaram a empoleirar-se  em árvores mais altas, e, geração após geração, os seus pés evoluíram para se prenderem melhor aos ramos mais finos, mais suaves, encontrados nas porções  mais elevadas das árvores.
A mudança ocorreu em um ritmo surpreendente: Dentro de alguns meses, lagartos nativos tinham começado a mudar para os poleiros mais elevados, e ao longo de 15 anos e 20 gerações, suas almofadas do dedo do pé havia se tornado maiores.
"Nós previmos que veríamos uma mudança, mas o grau e a rapidez com que evoluiu foi surpreendente", disse Yoel Stuart,  pesquisador de pós-doutorado do Departamento de Biologia Integrativa da Universidade do Texas, em Austin, e autor principal do estudo publicado na edição de 24 de outubro da revista Science.
Os lagartos nativos estudados, conhecidos como anoles-da-carolina ou anoles-verdes (Anolis carolinensis), são comuns no sudeste dos EUA.  As espécies invasoras, anoles-cubanos ou anoles-marrons, são nativas de Cuba e das Bahamas. Os anoles-marrons  apareceram pela primeira vez no sul da Flórida em 1950, possivelmente como passageiros clandestinos nos embarques agrícolas dos
navio cargueiros provenientes de Cuba, e, desde então, espalharam-se por todo o sudeste dos Estados Unidos.
Este último estudo é um dos poucos exemplos bem documentados do que os biólogos evolucionistas chamam de "deslocamento de caráter", em que espécies similares competem entre si  e adquirem características diferentes  para tirar proveito de outros nichos ecológicos. Um exemplo clássico vem dos tentilhões estudados por Charles Darwin. Duas espécies de tentilhão nas Ilhas Galápagos divergiram na forma do bico e  com eles se adaptaram a diferentes fontes de alimento.
O professor do Departamento de Ecologia da Uerj, Carlos Frederico Rocha destaca as mudanças impostas pela espécie invasora na comunidade local. Ao chegar ao novo habitat, os lagartos cubanos e os americanos competiram pelos mesmos recursos. Para garantir seus alimentos e a regulação da temperatura corporal, os lagartos da Flórida evoluíram a fim de alcançar as partes superiores de galhos e arbustos, onde não teria adversários.
— Essa mudança só pôde ocorrer pelo surgimento de uma mutação genética, que permitiu o surgimento de lâminas nos dedos — lembra. — A transformação no gene precisa passar de uma geração para outra, até se tornar dominante e garantir o sucesso reprodutivo da espécie, disse o pesquisador ao O Globo
Os pesquisadores especulam que a competição entre anoles marrom e verde pelo mesmo alimento e espaço podem ter direcionado as adaptações dos anoles verdes. Stuart também observou que os adultos de ambas as espécies são conhecidos por comer os filhotes da outra espécies.
"Suponha que você seja um filhote de lagarto e precisa mover-se para as árvores rapidamente ou então vai ser devorado", disse Stuart. "Se você tem grandes almofadas do dedo do pé, talvez você fará isso melhor do que se não tivesse".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade