Ciência Estampada na Pele

Os apaixonados por ciência têm procurado registrar essa paixão tatuando elementos das diversas ciências na própria pele. A natureza do tecido em que os pigmentos são injetados explica por que as tatuagens não saem nem se espalham para outras partes do corpo

Essa é para quem realmente tem a ciência na alma e quer levar sua paixão também na pele. A rede social Pinterest é uma das favoritas entre os amantes de tatuagem de todo o mundo para navegar em busca de inspirações para a próxima obra de arte que pretende estampar em seu corpo. Por lá, em meio às muitas e muitas listagens interessantes, há diversas tatoos bem bacanas com motivos científicos.
Você é daqueles que adoram tatuagem? Perde horas na internet conferindo as tatoos mais incríveis desenhadas na pele de pessoas de todo o mundo? Ou, pelo contrário, jamais concordaria com algo que o marcasse para toda a vida? Independentemente da resposta, vale conferir o vídeo produzido pelo canal Smarter Every Day.
O objetivo é mostrar detalhes que cercam essa verdadeira arte que é a tatuagem. A produção aborda um pouco da ciência por trás da criação de uma tatoo e apresenta as ferramentas utilizadas para dar vida aos mais belos desenhos. O que rouba a cena, no entanto, é a visão em câmera lenta da tatuagem sendo esculpida na carne, imagem que retrata em detalhes impressionantes o movimento da agulha da pistola de tatuagem sobre a pele, marcando-a de forma indelével. 

Mas, por que será que as tatuagens não apagam com o passar do tempo? Segundo a resposta de Solange Pistori Teixeira do Departamento de Dermatologia, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), para a revista Ciência Hoje nº 275 ( outubro de 2010), a tatuagem é feita por meio da introdução de pigmentos na derme. Enquanto a epiderme (camada mais superficial da pele) se renova constantemente – o que explica a perda do bronzeado com o passar do tempo –, a derme não sofre alterações.
Essa região é mais profunda, formada por tecido conjuntivo. Desse modo, quando os pigmentos são injetados ali, eles ficam imóveis, o que impede que a tatuagem saia ou se espalhe para outras partes do corpo. A remoção das tatuagens é possível graças à sensibilidade dos pigmentos a determinados comprimentos de onda de luz.
O laser age fragmentando esses compostos em micropartículas, que podem ser destruídas pelo organismo ou formar uma casca, que cai depois.
O número de sessões necessárias para se remover uma tatuagem por completo depende da profundidade em que os pigmentos foram introduzidos, além da quantidade e da cor deles. Em geral, os escuros são retirados mais facilmente, enquanto os amarelados respondem de forma menos satisfatória ao procedimento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas