Protesto Holográfico

Um grupo de ativistas espanhóis usou um método de última geração para protestar nesse final de semana contra um conjunto de medidas apelidada de "Lei da Mordaça": enviou milhares de hologramas para uma manifestação em frente à Câmara dos Deputados da Espanha.

Digno das melhores cenas dos filmes de ficção científica, os cidadãos espanhóis realizaram neste final de semana, o primeiro protesto com holograma na história, a fim de protestar sem violar as novas diretrizes da Lei de Segurança Nacional, as novas alterações ao Código Penal e na lei anti-terror. De acordo com a recentemente aprovada “Lei da Mordaça“, os cidadãos de Espanha não podem protestar contra o Congresso ou realizar reuniões em espaços públicos, mais eles tem que “pedir a permissão” das autoridades sempre que desejarem protestar publicamente. 
O grupo No Somos Delito (Não somos crime, em português) foi criado por ativistas para protestar contra a lei. O protesto com hologramas é uma forma de lembrar a população que, caso não seja possível colocar fisicamente o corpo nas ruas, sempre existirá a opção da manifestação virtual.
Os ativistas lançaram um site chamado Hologramas por la Libertad, que detalha a posição do grupo e as consequências da nova lei. Além disso, oferece uma ferramenta para quem quiser ter seu rosto transformado em holograma e inserido na próxima manifestação virtual. No site do movimento os cidadãos são convidados a participar, escrevendo uma mensagem de texto, deixando uma mensagem de voz gravada, ou convertendo-se em um holograma através da gravação de um vídeo via webcam. No site, um vídeo mostra uma mulher se transformando em holograma. "Se você é uma pessoa, não poderá se expressar livremente. Você só será capaz de fazer isso se for um holograma", afirma o vídeo.
Em uma entrevista ao jornal El Mundo, um porta-voz do No Somos Delito afirma que o protesto é uma forma de ironizar a nova lei. "Com as restrições que estamos sofrendo em nossa liberdade de reunião, a última opção que teremos será protestar com hologramas".
Além dessa lei absurda que proíbe as pessoas de protestaram publicamente, o governo resolveu privatizar o sol proibindo os cidadãos de gerarem energia para autoconsumo. Quem instalar placas solares para geração de energia doméstica “sem a autorização do governo” espanhol poderá ser multado em até 30 milhões de euros (cerca de R$ 100 milhões), e isso aconteceu por pressão das empresas elétricas espanholas em conchavo com políticos. O que está acontecendo na “democrática” Espanha?
Fonte: Stylo Urbano

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas