A Visão Noturna do Kiwi

Aves endêmicas da Nova Zelândia, os kiwis possuem algumas adaptações sensoriais peculiares como a visão noturna e o olfato bem desenvolvido. O recente sequenciamento de seu genoma por pesquisadores alemães, considerado o maior já realizado para uma espécie de ave, revelou que essas adaptações surgiram há cerca de 35 milhões de anos.

Pequenos em tamanho, muito parecidos com uma galinha, os kiwis marrons da Ilha do Norte (Apterix mantelli) na Nova Zelândia são as únicas aves noturnas do grupo das ratitas (aves que não voam, incluindo avestruzes e emas), que têm um grande sentido de olfato.
Uma equipe liderada pela Universidade de Leipzig e do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva (Alemanha), decifrou pela primeira vez o genoma desta ave especial que também é conhecida por colocar uma grande quantidade de ovos em relação ao seu tamanho corporal.
Os pesquisadores sequenciaram os genomas de dois kiwis marrons da Ilha do Norte, o que foi considerado o maior genoma de ave sequenciado até o momento. O estudo, publicado na revista Genome Biology , identificou as mudanças evolutivas do genoma que explicam as adaptações únicas deste pássaro de visão noturna, comportamento que compartilha com pouco menos de 3% de todas as espécies de aves.
Os resultados da análise mostraram que estas características de noturnidade dos kiwis estão relacionadas com alguns genes alterados que eliminam a visão de cores e outros que modificam o sentido do olfato.
"Observamos pela primeira vez a ausência de visão de cores nos kiwis e alguns receptores olfativos que podem detectar uma ampla gama de odores, essenciais para os seus momentos de forrageamento noturno", diz Diana Le Duc, principal autora e pesquisador nos centros alemães.
Segundo le Duc, essas adaptações parecem ter ocorrido há cerca de 35 milhões de anos, logo após a chegada dos seus antepassados ​​para a Nova Zelândia, e provavelmente por causa de seu estilo de vida noturna.
O trabalho enfatiza que o gene responsável pela visão em preto e branco - rodopsina - é semelhante à de outros vertebrados. Mas a equipe descobriu mutações em genes de receptores para a visão no verde e azul, o que poderia determinar que essas duas cores estejam ausentes na visão de cores da ave neozelandesa."Apesar dos esforços de conservação, os kiwis estão ameaçados", alerta a especialista, que espera que a sequenciação do genoma ajude no desenvolvimento de estratégias de manejo e conservação para protegê-los.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade