Pontes Móveis de Formigas

Pesquisadores descobriram que uma determinada espécie de formigas selvagens da América Central e do Sul conseguem construir pontes móveis utilizando os seus próprios corpos. O objetivo dessa construção é superar obstáculos a busca de alimentos dentro da floresta. Os cientistas já pensam em usar os resultados dessa pesquisa para construir um exército de robôs para operações de exploração e resgate.

As formigas legionárias, mas conhecidas como marabunta (Cheliomyrmex andicola), são capazes de construir pontes entrelaçando os seus próprios corpos para superar os obstáculos do ambiente selvático em que vivem nas Américas Central e do Sul.
Uma equipe de pesquisadores descobriram agora que essas "pontes" podem se mover de seu local de origem para cobrir buracos de maior tamanho ou mudar de posição se for preciso.
As pontes param de se mover quando se tornam tão grandes que os custos adicionais devido à imobilização das formigas em sua estrutura não compensam os benefícios que a colônia obtém de sua existência para o estabelecimento de rotas de abastecimento.
De modo semelhante, as pontes se desfazem quando as formigas da estrutura percebem que aquelas que se movem sobre elas demoram mais que um intervalo de tempo crítico.
O principal co-autor do estudo, Cristopher Reid, da Universidade de Sidney, disse os resultados da pesquisa poderiam ser utilizados para se desenvolver um exército de robôs para operações de exploração e resgate. Analisando como as formigas maximizam a utilidade da construção, os pesquisadores podem criar programas simples de controle para que esse exército de robôs se comportem igual às formigas no formigueiro. O estudo foi publicado em outubro no PNAS.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade