Cinco Espécies de Aves Que Darwin Não Viu


Equipe de paleontólogos descobriram os fósseis de 5 novas espécies  extintas de frangos-d'-água que habitavam as ilhas de Açores e Madeira há 500 anos antes da passagem de Charles Darwin pelo arquipélago português. Segundo os pesquisadores,a extinção destas aves ocorreu em virtude da chegada do homem a essas ilhas.

Quando o naturalista inglês Charles Darwin visitou as ilhas dos Açores no século 19, observou somente as aves que eles estava familiarizado. No entanto, se ele tivesse visitado estas ilhas 500 anos antes, teria encontrado uma ornitofauna tão especial como a de Galápagos. A recente descoberta nestas ilhas portuguesas e na de Madeira de cinco espécies extintas de frangos-d'-água (Rallidae), que perderam a capacidade de voar devido a fato de ter evoluído em ilhas, confirma quão frágil são estas aves em face das mudanças do seu habitat como as que devem ter ocorrido após as primeiras visitas de seres humanos há cerca de 500 anos.
Um novo estudo realizado por paleontólogos espanhóis, alemães e portugueses, publicado recentemente na revista Zootaxa, destaca a descoberta de cinco espécies extintas de frangos-d'água, dois na Madeira e três nos Açores. De acordo com os pesquisadores, estas espécies desapareceram provavelmente após a chegada dos seres humanos e os animais que vieram com eles como camundongos, ratos e gatos.
Todas as espécies descobertas são bem menores do que o seu presumível antepassado, o frango-de-água-europeu Rallus aquaticus. São elas: Rallus lowei, Rallus adolfocaesaris, Rallus montivagorum, Rallus carvaoensis e Rallus minutus.
Enquanto em continentes, estas aves vivem perto da água, em ilhas, que elas ocupam mais os habitats terrestres. A razão para isto é que, a fim de viver em ilhas, elas evoluíram de forma diferente, até a ponto de se tornarem espécies insulares nativas. Esta evolução implica mudanças em suas proporções de tamanho corporal e uma redução ou perda completa de sua capacidade de voar; é por isso que eles tendem a andar.
Fonte: SINC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade