Herança Genética Muito Além do DNA

Cientistas descobrem fragmentos de moléculas de RNA que estão envolvidos na transmissão da chamada herança epigenética, aquela que é transmitida por algo diferente de uma sequência de bases de DNA. Pelo estudo com roedores, eles conseguiram constatar que a dieta alimentar e o nível de estresse do pai podem ser passados para os filhos desta forma.


"Impossível" é exatamente como os biólogos certa vez descreveram a chamada herança epigenética, em que algo diferente de uma sequência de DNA consegue passar uma característica entre as gerações. Nos últimos anos, no entanto, os pesquisadores encontraram vários exemplos de herança epigenética. As preferências alimentares e o nível de estresse de um rato macho, por exemplo, pode influenciar o metabolismo de seus descendentes.
Os pesquisadores ainda estão tentando determinar como a prole herda os atributos metabólicos e as condições fisiológicas do pai. Algumas evidências implicam a modificação química do DNA. Outros trabalhos desenvolvidos pela neurocientista Tracy Bale, da Universidade da Pensilvânia Perelman School of Medicine na Filadélfia e seus colaboradores descobriram que pacotes de genes localizados nos espermatozóides dos mamíferos regulam determinadas moléculas chamadas de microRNAs.
Dois estudos publicados on-line esta semana na Science revelam que o espermatozóide dos roedores possuem fragmentos de RNAs que alteram o metabolismo da sua prole. Normalmente, os RNAs destacadas pelos estudos ajudam a sintetizar proteínas, de forma que os os resultados encontrados apontam para uma forma não convencional de herança. 
O novo trabalho destaca uma classe diferente de RNAs, chamada de RNAs transfer (tRNAs). Em um estudo, o geneticista Oliver Rando, da Universidade de Massachusetts Medical School, em Worcester e seus colaboradores investigaram um caso de herança epigenética em que a descendência de camundongos alimentados com uma dieta com baixo teor de proteína mostrou uma atividade elevada de genes envolvidos no metabolismo de lipídios e colesterol. Quando a equipe de Rando analisou o espermatozóide dos machos privados de proteínas, descobriram um aumento na abundância de fragmentos de vários tipos de tRNAs. Os investigadores concluíram que o espermatozóide adquiriu a maioria destes fragmentos durante a passagem pelo do epidídimo, um canal localizado nos testículos onde as células reprodutoras amadurecem.
Um outro estudo, conduzido por uma equipe da Academia Chinesa de Ciências em Pequim e outras instituições também se detiveram sobre os fragmentos de tRNA e chegaram a importantes conclusões sobre esses fragmentos no metabolismo dos descendentes.
Embora tRNAs são mais conhecidos por papéis na síntese de proteínas, os seus fragmentos estão transformando-se em outras situações celulares. "Pedaços de unidades funcionais que são muito bem conhecidas podem ter funções interessantes ainda não esclarecidas", diz Rando. Ambos os estudos sugerem que os pedaços de RNA alteram a atividade genética. Rando e colegas bloquearam um dos fragmentos de ARNt no interior das células estaminais embrionárias e conseguiram aumentar a atividade de cerca de 70 genes.
Fonte: Science

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade