O "Gene da Felicidade"

Cientistas afirmam ter encontrado o gene responsável pela felicidade das pessoas. Eles descobriram a existência de uma "forte correlação" entre a felicidade de uma nação e a prevalência de uma variante particular do gene  "FAAH". Assim, países como a Nigéria e o México abrigam pessoas mais felizes do que a China e a Tailândia.

De acordo com um novo estudo, publicado no Journal of Happiness Studies, as pessoas que se consideram muito felizes são mais propensas a compartilhar um determinado gene responsável pela sensação de felicidade. Os pesquisadores encontraram uma "forte correlação" entre a felicidade de uma nação e a prevalência de uma variante particular do gene amida hidrolase de ácidos graxos, ou "FAAH", na sigla em inglês.
Para a realização desse estudo, os pesquisadores usaram dados do World Values Survey (WVS) reunidos entre 2000 e 2014. O WVS é um projeto de pesquisa global que atenta para os valores e crenças dos povos, e como eles mudam e respondem a essas mudanças ao longo do tempo. A partir disso, eles descobriram a percentagem média de pessoas que relataram estar "muito felizes" em países ao redor do mundo, e então analisaram os dados climáticos, prevalência de doenças, os dados econômicos do Banco Mundial e a genética populacional desses países.
De acordo com os cientistas, este gene impede a degradação de um produto químico particular, a anandamida, conhecida por aumentar a" sensação de prazer " enquanto ajuda a "reduzir a dor." Os países que têm populações com maior proporção da variação desse gene também relataram serem as mais felizes . Estes países estão amplamente distribuídos ao redor do mundo, desde Gana e Nigéria, na África Ocidental, até o México e Colômbia na América Latina e a Suécia no Norte da Europa. No outro extremo da escala estão países do Oriente Médio, como a Jordânia e o Iraque, e as nações da Ásia Oriental como a China e a Tailândia.
Para tentar reduzir algo tão subjetivo e variável a um único gene foi necessário fazer uma grande simplificação.Parece improvável para a ciência avaliar geneticamente atributos tão subjetivos como a felicidade. Há muitos fatores capazes de influenciar se uma pessoa em um determinado país durante um certo tempo se considera como sendo feliz ou não. E esses fatores poderiam gerar muita confusão e influenciar no julgamento da pessoa.
Até mesmo os pesquisadores admitem que existem algumas limitações ao estudo. Mesmo que os habitantes da Rússia e da Europa Oriental tenham uma alta prevalência do gene dentro de sua população, sua felicidade relatada ainda estava muito baixa.
Eles disseram que a riqueza econômica, política e as doenças não influenciaram significativamente a felicidade de uma nação, mas, afirmaram que a política e a economia fez com que houvesse "flutuações" no grau de satisfação desses países. Eles chegaram a usar um exemplo de como a felicidade em Ruanda tem aumentado desde o genocídio de 1994. Presumivelmente, isso não tem a ver com um aumento no gene FAAH dentro da população. 
Essa não é a primeira vez que os pesquisadores afirmaram ter encontrado um "gene da felicidade." Um estudo anterior de 2011, no entanto, desta vez atribuiu este fato a uma seção diferente do DNA, a um gene chamado 5- HTT. Se você tem duas cópias deste, os pesquisadores afirmaram, você é duas vezes mais propensos a dizer que você está satisfeito com sua vida. Como sempre, as coisas são muito mais complexas do que parecem.
Fonte: IFL Science

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas