A Genética do Cabelo Grisalho

O aspecto do cabelo, da barba e das sobrancelhas depende de fatores genéticos que até então não estavam bem definidos. Agora, a análise do genoma de 6.000 pessoas da América Latina, com uma rica diversidade genética, permitiu identificar dez variações em seu DNA que influenciam na forma, densidade e cor dos fios. Assim, os cientistas encontraram o primeiro gene associado com o embranquecimento dos cabelos




Uma equipe internacional de cientistas, com a participação da Universidade de Oviedo (Espanha), descobriu dez variantes genéticas que influenciam na aparência do cabelo humano. O estudo, publicado pela Nature Communications, realizou a análise de uma amostra de 6.357 voluntários de cinco países da América do Sul (Brasil, Colômbia, Chile, México e Peru) com diferente composição genética ancestral – européia (48%), nativos americanos (46%) e africana (6%). O objetivo da pesquisa foi identificar genes associados com os cabelos grisalhos, a cor, a densidade e a forma do cabelo e do pelo facial da população latino-americana.
Os cientistas destacam o achado do primeiro gene associado ao embranquecimento dos cabelos, o que confirma que este traço tem um componente genético e não se deve somente ao meio ambiente. O gene IRF4 era conhecido por desempenhar um papel importante na determinação da cor do cabelo, porém também está relacionado com os cabelos grisalhos.
“Já se conheciam vários genes envolvidos na calvície e a cor do cabelo, porém esta é a primeira vez que se identifica um gene associado ao cabelo branco dos humanos, assim como outros associados à forma e a densidade”, declara o autor principal do trabalho, Kaustubh Adhikari, do Departamento de Biologia Celular e do Desenvolvimento da University College de Londres (Reino Unido).
O gene IRF4 se encarrega de regular a produção e o armazenamento de melanina, o pigmento que determina a cor do cabelo, da pele e dos olhos. Os cabelos grisalhos são causados, precisamente, pela ausência de melanina no pelo.
Os cientistas acreditam que esta associação genética pode proporcionar um bom modelo para compreender aspectos do envelhecimento em humanos. "Além disso, poderá ser importante para o desenvolvimento de tratamentos que atrasem o aparecimento dos cabelos grisalhos”, explica Andrés Ruiz-Linares, outro pesquisador da University College de Londres.
Os pesquisadores também descobriram outro gene chamado PRSS53 que influencia no formato do cabelo. "A enzima PRSS53 atua na parte do folículo piloso que modela o crescimento da fibra capilar, e esta variação genética, associada com cabelo liso nas populações do leste da sia e dos nativos americanos, suporta a ideia de que a forma do cabelo está submetida recentemente à seleção natural na família humana", assinala Desmond Tobin, co-autor do trabalho e membro do Centro de Ciências da Pele da Universidade de Bradford (Reino Unido), que descobriu este gene.
A equipe de pesquisadores encontrou também genes que controlam a espessura e a forma do pelo da barba, outros que estão relacionados com a espessura das sobrancelhas e o da prevalência da união de ambas no entrecenho.
Fonte: SINC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade