Nossos Blogues de Ciências Resistem

Acredita-se que o surgimento de novas mídias, entre outros fatores, tenha contribuído bastante para o decaimento no volume de postagens dos blogues científicos nacionais, principalmente a partir de 2014. Embora essas mídias não sejam incompatíveis (blogueiros de ciência normalmente usam o Twitter e o Facebook para chamar a atenção para o seu blogue), certamente envolvem maior gasto de tempo pelo divulgador, a ponto de aumentar o período de inatividade do blogue ou até mesmo levar à extinção do mesmo. O fato é que os blogues científicos, por suas características, ainda possuem grande potencial para a educação em ciências por meio da divulgação científica.

Com aproximadamente 20 anos de existência, os blogues proliferaram a partir do início dos anos 2000 e se estabeleceram em um curto espaço de tempo, percorrendo uma trajetória marcada por aportes tecnológicos que revolucionaram a forma de comunicação virtual, com os conteúdos disseminados na rede passando a ser gerados pelos próprios usuários. 
No que se refere aos blogues de ciências, verificou-se um crescimento majoritário a partir de 2004, sendo o ano de 2006 marcante pela criação do portal ScienceBlogs no cenário internacional. O Portal Lablogatórios, criado em 2008 pelos biólogos Carlos Hotta e Átila Iamarino, aparece como o primeiro condomínio de blogues voltado à divulgação da ciência no Brasil . Em 2009, altera sua denominação – muda de Lablogatórios (ou Lablogs) para Science Blogs Brasil e passa a fazer parte do Anel de Blogs Científicos (ABC).
De uns tempos para cá, tem-se falado muito numa crise na produtividade dos nossos blogueiros de ciências, mas pouco se tem pesquisado sobre este assunto. A pesquisadora da USP Sibele Fausto e seus colaboradores publicaram este ano um levantamento do status da blogosfera científica brasileira em que discutem aspectos relevantes sobre a situação dos blogues nacionais de ciências. Segundo os autores da pesquisa, a queda de atividade na blogosfera científica nacional não é certa, porém é plausível, dada a competição por tempo e o esforço com as novas mídias sociais (Twitter, Facebook e YouTube).
De acordo com uma busca sistemática realizada no site Periódico, verificou-se que, numa amostra de 90 blogues científicos representativos da blogosfera nacional, apenas 33 tinham publicado postagens no primeiro semestre de 2017. O site Periódico é um agregador de conteúdo da comunidade de blogues de divulgação científica do país. O site é alimentado a partir dos feeds de cada blogues agregado. O objetivo do Periódico é agregar links para os diversos posts produzidos pela comunidade brasileira de blogues de divulgação científica, arquivá-los e espalhá-los via redes sociais. 

Blogues Atividade em 2017/1?
100nexos Não
 A neurocientista de plantão Sim
 Amigo de Montaigne Não
A Crônica das Moscas Não
 A Vela de Sagan Não
 Além do Laboratório Não
 Bala Mágica Não
 Big Bang Blog Não
 Biologia Evolutiva Não
 Biorritmo Sim
 Blog da Sciam Não
 Blog do Bizzo Sim
42. Não
Caapora Não
 Caderno de Laboratório Não
Carlos Orsi Sim
Chapéu, Chicote e Carbono-14 Não
Chi vó non pó Não
Cientistas S/A Não
 Ciência Aberta Sim
 Ciência ao Natural Não
Ciência na Mídia Não
 Ciência UENF Sim
 Ciência à Bessa Sim
 Ciências e Ideias Não
Cognando Não
Colecionadores de Ossos Sim
Curupira Sim
 Darwin e Deus Sim
 Devaneios Biológicos Não
 Dinobótico Não
Discutindo Ecologia Não
 Dispersando Não
 Dissertação sobre divulgação científica Sim
Divulga Ciência Não
DNA Cético Não
Do Nano ao Macro Sim
Dragões de Garagem Não
Ecce Medicus Sim
 Ecodesenvolvimento Sim
Efeito Adverso Não
Estação Bio Não
 Evolução e desenvolvimento Não
Filipe Saraiva's blog Sim
FMUSP - Serviço de Promoção e Divulgação Sim
 Fronteiras da Ciência Sim
 Gene Repórter Sim
 Geófagos Sim
 Haeckeliano Não
 Herton Escobar Sim
https://historiasnaturais.wordpress.com/ Não
 hypercubic Sim
iBiomovies Não
Ideias Cretinas Não
 Imagens Históricas Não
 Jornal da Ciência Sim
Lab 404 Sim
 Marco Evolutivo Sim
Massa Crítica Não
 Maurício Tuffani Não
Meio de Cultura Não
Mensageiro Sideral Sim
 n-Dimensional Não
 Nightfall in Magrathea Não
 O Divã de Einstein Não
 O que você faria se soubesse o que eu sei? Sim
 Pimenta Lab Sim
Praciência Não
 Programa Alexa Não
 Psicológico Não
 Pó de Imburana Não
 Questões da Ciência Não
Química Viva Não
 Rainha Vermelha Sim
 Raio-X Não
 Rastro de Carbono Não
 RNAm Não
SciCast Não
Scielo em Perspectiva Sim
 SocialMente Sim
 Synbio Brasil Não
 Teoria de Tudo Não
 Todas as configurações possíveis Sim
 True Singularity Sim
 Tubo de Ensaios Não
Um longo argumento Não
 Universo Físico Não
Você que é Biólogo... Não
Xis-Xis Sim
Ciência Hoje Não
Fonte: Periódico

Acredita-se que o surgimento de novas mídias tenha contribuído bastante para o decaimento no volume de postagens dos blogues nacionais, principalmente a partir de 2014. Desde então, muitos divulgadores de ciência provavelmente passaram a usar o Twitter como plataforma para links para notícias de ciência e/ou começaram a usar o Facebook também como mídia para divulgação científica. O surgimento dos vlogs (videoblogs) de ciência e podcasts de divulgação científica também podem ser apontados como prováveis causas desta diminuição.
Ou seja, embora essas mídias não sejam incompatíveis (blogueiros de ciência normalmente usam o Twitter e o Facebook para chamar a atenção para o seu blogue), certamente envolvem maior gasto de tempo pelo divulgador, a ponto de aumentar o período de inatividade do blogue ou até mesmo levar à extinção do mesmo.
Um outro fator a ser considerado é a de que a geração inicial que fundou os blogues de ciência de forma entusiástica amadureceu (muitos eram estudantes), de forma que agora se vê envolvida com demandas profissionais e familiares. Aparentemente, não surgiu uma nova geração de blogueiros de ciência com o mesmo entusiasmo, dado que a mesma está mais envolvida com as novas ferramentas sociais, e o blogue, por seu caráter de escrita intensiva, é muitas vezes encarado como uma mídia trabalhosa e rotineira. 
Um fato interessante em relação aos blogues é que mesmo quando são considerados inativos ou extintos, o seu conteúdo continua disponível para que novos leitores acrescentem comentários e também para o que seu autor possa retomar as publicações a qualquer tempo.
Segundo os resultados da Enquete Nacional de Percepção Pública da Ciência e Tecnologia de 2015, 14% dos entrevistados declararam usar blogues como fonte para acessar informações sobre ciência e tecnologia na internet. Aos poucos estamos percebendo que a interação entre a ciência e os variados tipos de público hoje em dia é uma exigência social, e não somente um filantrópico desejo de democratizar o conhecimento, nem somente deve-se ao efeito da importância da tecnologia em nossas vidas.
O fato é que os blogues científicos, por suas características, ainda possuem grande potencial para a educação em ciências por meio da divulgação científica. Mesmo sabendo que, no Brasil, estes blogues ainda não atingiram a legitimidade que merecem no meio acadêmico e que uma série de fatores dificultam a sua percepção como recursos confiáveis pelo público em geral. Contudo, a permanência dessas ferramentas digitais no ambiente online, expõe a necessidade de uma ponte conectando os pesquisadores e suas pesquisas a outras partes da sociedade, facilitando assim a transferência da produção científica em nosso meio. 
Para saber mais, clique nos links acima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

A Importância Ecológica das Baratas

Sensibilidade e Especificidade