Formigas Socorristas


Um estudo recente revelou que formigas africanas matabele (Megaponera analis) socorrem as companheiras feridas nas operações de caça a cupins e cuidam delas até que recuperem totalmente a saúde. Após resgatar as companheiras feridas em combate e levá-las para a colônia, as formigas atuam como equipes médicas, reunindo-se em torno das pacientes para lamber seus ferimentos de forma "intensa." Sem esse atendimento eficiente, cerca de 80% das formigas feridas morreriam. Depois de receber esse tratamento "médico", apenas 10% sucumbem aos seus ferimentos .



Um vídeo interessante divulgado pela agência Europa Press mostra formigas africanas Matabele (Megaponera analis) tratando as feridas de suas companheiras-soldados feridas após confrontos com várias espécies de cupins. A forma de tratamento é bem peculiar: as formigas "médicas" lambem os ferimentos das outras companheiras feridas como fazem os cães. Sem esse atendimento eficiente, cerca de 80% das formigas feridas morreriam. Depois de receber esse tratamento "médico", apenas 10% sucumbem aos seus ferimentos .
Segundo os responsáveis pela descoberta, os professores Erik T. Frank, Marten Wehrhan e Karl Eduard Linsenmair, da "Julius-Maximilians-Universität Würzburg" (JMU), na Baviera (Alemanha), nenhum outro inseto conhecido trata as feridas de seus companheiros e os biólogos da JMU acreditam que esse comportamento é único em todo o reino animal. A descoberta foi publicada detalhadamente no periódico Proceedings of the Royal Society B.
As formigas Matabeles estão sempre correndo um alto risco de lesão todos os dias. Estes insetos, que estão amplamente distribuídas pela África Subsaariana, preparam-se para atacar aos cupins de duas a quatro vezes por dia. Avançando em longas fileiras de 200 a 600 indivíduos, elas atacam os cupins em seus locais de alimentação, matando muitos cupins-trabalhadores e arrastando as presas para o formigueiro, onde elas finalmente os devoram. No entanto, as formigas enfrentam uma resistência feroz por parte dos terríveis cupins-soldados - que são muito habilidosos em usar suas potentes mandíbulas para se defender contra as atacantes. 
Durante o combate, ocorrem muitos ferimentos e mortes entre as formigas. Por exemplo, as formigas geralmente perdem membros que são arrancados pelas mordidas dos cupins-soldados. Quando uma formiga se fere em combate, ela pede as suas companheiras para buscar ajuda excretando uma substância química (feromônio) que as fazem levar a formiga ferida de volta à colônia. Este eficiente serviço de resgate já foi descrito por Erik T. Frank, um dos autores da pesquisa, em 2017.
Agora os biólogos de Würzburg foram mais a fundo e passaram a investigar o que acontecia com as formigas feridas quando eram resgatadas de volta ao formigueiro. Os cientistas constataram que as outras formigas tratavam as feridas de suas companheiras feridas "lambendo" intensamente o local dos ferimentos, muitas vezes por vários minutos. Os pesquisadores acreditam que elas fazem isso para limpar as feridas e até mesmo aplicar substâncias antimicrobianas com saliva para reduzir o risco de infecção bacteriana ou fúngica.
A equipe do 'JMU Biocentre' descobriu ainda detalhes mais emocionantes sobre o serviço de resgate de emergência das formigas Matabele. As formigas feridas que perdem cinco de suas seis patas, por exemplo, não recebem ajuda no campo de batalha. Mas a decisão de quem é salvo e que é deixada para trás não é tomada pelas socorristas, mas pelas próprias formigas feridas. Quando as formigas Matabele sofrem lesões menores, elas se movem muito mais lentamente do que o normal, uma vez que as potenciais socorristas estão por perto. Esse comportamento provavelmente aumenta suas chances de ser detectado pelas outras formigas que retornam ao formigueiro em coluna. 
Para saber mais, clique nos links acima.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

A Importância Ecológica das Baratas

Sensibilidade e Especificidade