Vai Uma Tanajura Frita Aí?

Muito apreciadas como alimento, as içás ou tanajuras são consumidas na revoada, época em que estão com a barriga cheia de ovos e, portanto, mais ricas em proteína. Em muitos locais já não se observam mais revoadas de tanajuras, fato atribuído ao aumento da poluição ambiental. O hábito de comer formigas foi passado dos índios da Amazônia para os sertanejos e tropeiros. Hoje, no nordeste brasileiro, as tanajuras fazem parte de um cardápio exótico, sendo iguaria em mercados públicos e são preparadas de diversas maneiras: fritas, torradas como amendoim, assadas, em paçoca com farinha de mandioca ou de milho.

Comer formigas pode parecer um hábito estranho para muitas pessoas. Porém, diferentes espécies de formiga são consideradas iguarias saborosas por vários povos da Venezuela, Colômbia, México, África e Austrália – além de fazerem parte do cardápio de todos os indígenas brasileiros de origem tupi, especialmente a içá, ou tanajura, como são chamadas as fêmeas da saúva. 
Saúva é designação comum às formigas, especialmente as do gênero Atta, da família dos formicídeos. Conta com cerca de duzentas espécies, nativas do Novo Mundo e abundantes na região neotropical. Elas cortam pedaços de folhas, que carregam para os ninhos a fim de criar os fungos que constituem o seu alimento exclusivo. No Brasil, são uma das mais importantes pragas agrícolas. Estão lembrados da famosa frase do livro Macunaíma, escrito em 1928 por Mário de Andrade: pouca saúde, muita saúva, os males do Brasil são ? Então...
A içá ou tanajura, como é conhecida a rainha, e o bitu (vitu, cabitu, savitu, içabitu, sabitu, sibitu ou escumana), como é conhecido o macho, revoam em dias claros na primavera e no começo da estação chuvosa, após a rainha ser fecundada inicia novo sauveiro. Traz, no aparelho bucal, uma bolota de fungo de seu formigueiro natal e a regurgita no novo sauveiro, irrigando-a depois com sua matéria fecal. Cerca de 99% das içás não chega a formar sauveiros maduros
Conta -se que quando o padre Anchieta chegou ao Brasil, constatou que o hábito de comer formigas era muito comum entre os indígenas, o que chamou muito a atenção do colonizador europeu. Os nativos aguardavam ansiosamente por determinada época do ano para colher os "frutos que caíam do céu". Eram formigas de abdome bem desenvolvidos que eles torravam e comiam como se fossem amendoins.
Segundo uma lenda indígena, foi uma serpente pequena quem ensinou a alguns povos indígenas a consumir esses insetos. A lenda conta que eles viram uma serpente se alimentar da formiga e foram se alimentar também. Ainda hoje, as populações caboclas e indígenas da Amazônia e de outras regiões apreciam formigas, que são consumidas in natura, fritas em farofas ou, ainda, como temperos. Diversas espécies eram consumidas pelos índios brasileiros, fritas, em salmoura e misturadas com farofa. Essa tradição foi passada para os sertanejos e tropeiros, os quais, ainda nos dias atuais, não deixam a tradição ser exterminada.
De acordo com os estudiosos, os "frutos caem do céu" na época da revoada, quando as formigas se reproduzem. No sudeste, a reprodução acontece entre os meses de outubro e dezembro (assista ao vídeo). Em outras regiões do país , esse acasalamento pode ocorrer em abril. Em muitos locais não se observam mais revoadas de tanajuras, fato atribuído ao aumento da poluição ambiental.
A parte comestível é o abdômen da formiga, popularmente, a "bunda de tanajura". No nordeste brasileiro, as tanajuras fazem parte de um cardápio exótico, sendo iguaria em mercados públicos como o de São José, no Recife. Em Pernambuco, o povo utiliza a tanajura para preparar petiscos que são preparadas de diversas maneiras: torradas como amendoim, assadas, em paçoca com farinha de mandioca ou de milho, etc. A palavra tanajura vem do tupitanayu’ra e significa "o senhor da nossa aldeia".
Receitas de preparo da formiga tanajura é o que  não faltam. A mais comum, é torrar a formiga com óleo ou manteiga e sal, como se fosse amendoim. Outra maneira é separando as pernas e a cabeça, utilizar o abdome, refogado com alho, cebola, acrescentar farinha de mandioca e levar tudo ao fogo até formar uma paçoca ou farofa.
O hábito de comer o inseto advém mais de sua abundância do que do teor proteico Mesmo as tanajuras sendo consumidas na época em que estão com a barriga cheia de ovos e, portanto, mais ricas em proteína, ainda assim, o valor nutritivo é mínimo. Além de proteínas, o alimento contém ácidos graxos, sódio , potássio, ferro e cálcio. Alguns dizem que o gosto da tanajura lembra o do camarão. Além de servirem de alimento, as tanajuras também são usadas como mezinhas. No sertão nordestino, mezinha é o nome que se dá ao remédio caseiro tido como certeiro.
Para saber mais, clique nos links acima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

A Importância Ecológica das Baratas

Sensibilidade e Especificidade