Charles Darwin e o Método Científico


Na visão popular, os avanços científicos são produto da genialidade de homens, que, por meio de insights, concebem idéias com força para abalar as estruturas do conhecimento. Na realidade, a ciência é fruto de dedicação e de um longo percurso de pesquisa. Nessa área é preciso seguir um método, ou seja, regras básicas que norteiam a investigação científica: problematização, observação, investigação, pesquisa em diversas fontes, registro durante o percurso e conclusão.
Dotado de grande capacidade de observação e de registros, apoiado nas pesquisas científicas mais recentes e tendo contato com especialistas de diversas áreas, Darwin conseguiu desenvolver a Teoria da Evolução seguindo estas 5 etapas indispensáveis- e que estão presentes até hoje no ensino de Ciências.
Em 1831, aos 22 anos e recém-formado, Darwin foi convidado a participar de uma expedição patrocinada pelo governo inglês até os trópicos, como acompanhante do comandante do navio HMS Beagle. Durante os 5 anos da aventura, ele pôde observar, pesquisar e refletir sobre a diversidade da vida. Nas 20 paradas do navio, pelos 4 continentes em que aportou, ele realizou experimentos, coletou fósseis, espécimes vivos de animais e vegetais, fez centenas de registros por meio de desenhos e anotações, respondeu a dezenas de perguntas e trocou correspondências e opiniões com diversos estudiosos ingleses.
Foi Darwin que deu consistência necessária á Teoria da Evolução, cujo fundador foi o francês Jean Baptiste de Lamarck (1744-1829). Para não deixar furos no estudo, Darwin seguiu à risca os procedimentos de pesquisa, tendo o cuidado de unir o maior número de provas e de checar cada ponto abordado com as autoridades científicas mais respeitadas da época. Tanto zelo e preocupação fez com que publicasse a teoria mais  de duas décadas depois, em 1859, com o poético título Sobre a Origem das espécies por Meio da Seleção Natural ou a Preservação das Raças Favorecidas na Luta pela Vida.
Segundo a teoria de Darwin, tanto os organismos vivos como os que encontrou fossilizados se originavam de um ancestral comum e se transformavam ao longo do tempo. Semelhante a uma bactéria, esse primeiro ser vivo sofreu modificações até gerar toda variedade de animais e plantas do planeta, seguindo um padrão evolutivo (que permanece ativo). Assim, o homem deixou de ser visto como um animal especial e mais evoluído para ser encarado como mais um ramo da grande árvore da vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas