O Canto Das Baleias Jubartes

As jubartes também são conhecidas como baleias-cantoras. O canto é uma estratégia do macho para atrair as fêmeas para o acasalamento

O litoral sul da Bahia é um dos principais pólos de avistamento de baleias (wale watching, como dizem internacionalmente) do país. Suas águas calmas e aquecidas e a proteção natural oferecida pelos arrecifes de Abrolhos são os principais atrativos para a maioria das 9 mil jubartes que saem das Ilhas  George do Sul e Sandwich do Sul  (há 4,5 mil quilômetros  de distância, próximas à Antártica) para terem os seus filhotes e acasalarem. O melhor mês para observação é setembro, quando todas já migraram, a maioria dos filhotes já nasceu e o retornou ainda não começou.
As jubartesMegaptera novaeangliae) são conhecidas como baleias-cantoras e emite sons dotados de uma complexidade única no reino animal. Há quem diga que foram elas que inspiraram as lendas sobre os cantos das sereias. Com o hidrofone (microfone colocado na água para captar sons, muito utilizado em pesquisas científicas) é possível captar perfeitamente, na maioria dos casos, o canto das jubartes localizadas em um raio de até 5 quilômetros. 
Apenas os machos da baleia-jubarte cantam, realizando suas vocalizações predominantemente durante a temporada de acasalamento e ao longo das rotas de migração. Suspeita-se que a finalidade das canções é a de auxiliar na seleção sexual. Mas, se as canções descrevem um comportamento de competição entre os machos à procura da mesma companheira, o modo como se comportam na demarcação de território ou nos rituais de corte do macho para com a fêmea ainda não é conhecido, sendo tema de pesquisas em andamento. Tem-se observado o canto do macho enquanto este simultaneamente age como "acompanhante", próximo à fêmea. O canto também tem sido gravado em disputados grupos de baleias compostos de uma fêmea e múltiplos machos.
As canções seguem uma estrutura hierárquica distinta. As unidades base da canção (às vezes lembram vagamente as notas musicais) são emissões isoladas e ininterruptas de som que perduram por alguns segundos. Esses sons variam numa freqüência entre 20 Hz a 10 kHz (o alcance normal da audição humana varia de 20 Hz a 20 kHz). Essas unidades podem ser de modulação em freqüência (por exemplo, o pico do som pode subir, descer ou permanecer o mesmo durante a nota) ou de modulação em amplitude (tornando o volume alto ou baixo). De qualquer modo, a regulação da largura de banda na representação do espectrograma da canção revela a natureza essencialmente pulsar dos sons FM, isto é, de modulação em freqüência.
O ajuntamento de quatro ou seis notas é conhecido como uma subfrase, e perdura por cerca de dez segundos . O ajuntamento de duas subfrases é uma frase. Normalmente a baleia irá repetir a mesma frase diversas vezes durante dois minutos, o que é conhecido como um tema. O ajuntamento de temas é conhecido como um canto. A baleia pode repetir o mesmo canto, que perdura por 30 minutos ou mais, diversas vezes ao longo de horas ou mesmo dias
Todas as baleias em uma mesma área cantam virtualmente o mesmo canto a qualquer intervalo de tempo, e o canto é constante, evoluindo lentamente ao longo do tempo. Por exemplo, no decorrer de um mês uma nota específica que iniciou-se em uma freqüência crescente pode lentamente abrandar-se, tornando-se uma nota constante. Já outra nota pode ficar gradualmente mais intensa. O ritmo de evolução do canto de uma baleia também se modifica — em poucos anos o canto pode modificar-se muito rapidamente, ao passo que em outros anos apenas uma pequena variação pode ser registrada.
Baleias que ocupam as mesmas áreas geográficas (que podem ser tão extensas quanto bacias oceânicas inteiras) tendem a cantar canções similares, com apenas leves variações. Populações de baleias de regiões não-sobrepostas cantam canções totalmente diferentes, com características únicas, assumindo uma espécie de impressão digital que permite detectar o local de origem da alteração do canto. Desta forma, o fenômeno migratório pode introduzir e propagar canções novas entre as populações de baleia-jubarte.
À medida que o canto evolui, aparentemente os padrões antigos não são repetidos. Uma análise de 19 anos descobriu que enquanto padrões comuns de canções de baleia podiam ser identificados, as mesmas combinações nunca se repetiam.
As baleias-jubarte também fazem sons que não fazem parte de uma canção, particularmente durante rituais de corte. Finalmente, as jubartes podem fazer uma terceira classe de som chamada de "canto de alimentação". Trata-se de um som longo, que dura de 5 a 10 segundos, de freqüência quase constante. As jubartes geralmente se alimentam cooperativamente por se reunir em grupos, nadando abaixo dos cardumes e investindo contra eles ao subir por entre os peixes e a água. Antes dessas investidas, as baleias fazem seu canto de alimentação. O objetivo desse canto não é conhecido, mas pesquisas sugerem que os peixes saibam o que significa. Quando uma gravação foi reproduzida para um grupo de arenques, eles responderam ao som movendo-se longe do canto, embora não houvesse baleias presentes.
As jubartes são reconhecidas facilmente graças a numerosos sinais. Possuem a parte superior totalmente negra, parte inferior branca ou um pouco mais escura. A cabeça e mandíbula inferior estão recobertas de pequenas protuberâncias características da espécie, chamadas de tubérculos cefálicos, ou dérmicos, que na realidade são folículos pilosos.
A cauda possui manchas negras e brancas visíveis quando o animal submerge, e as ondulações da sua parte posterior e os desenhos em suas barbatanas caudais (próprias de cada exemplar) são utilizadas para identificação. Cada barbatana peitoral (também com manchas negras e brancas e com um desenho próprio de cada animal) pode alcançar até um terço do comprimento do corpo, muito mais que qualquer outra espécie da ordem dos cetáceos.
Na idade adulta, uma jubarte mede, em média, 14 metros de comprimento e pesam 25 toneladas, mas algumas podem chegar a 16 metros e até 40 toneladas. Os filhotes já nascem com 4,5 metros e quase 1 tonelada. Além de grandes, essas baleias são curiosas e sempre se aproximam dos barcos. Não são violentas, mas isso não significa que não são perigosas. São grandes e fortes e qualquer movimento mais brusco pode causar um acidente.

* Ouça o canto das baleias jubartes na página da Wikipedia clicando aqui 

Comentários

  1. Olá,


    Venho, como monitora do Eixo Ético Humanístico da Faculdade de Medicina da Bahia - UFBA, convidar você a participar do IV Encontro Luso-Brasileiro de Bioética que acontecerá na cidade de Salvador, no Hotel Pestana, nos dias 15, 16 e 17 de Setembro.


    Mais informações


    http://www.vilusodebioetica.com.br/event/elbb6/site/index

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas