Conheça os Dinossauros Brasileiros

De autoria de Luiz Eduardo Anelli, professor do Instituto de Geociências da USP, curador da exposição "Dinos na Oca", e ilustrado por Felipe Alves Elias, ambos paleontólogos, O guia completo dos dinossauros do Brasil é o primeiro livro que reúne informações sobre os nossos "dinos". São mais de vinte espécies estabelecidas a partir dos achados fósseis, desconhecidas da população leiga e até mesmo da comunidade científica, e apresentadas pelo autor de forma contextualizada: o livro traz comparações entre as descobertas no Brasil e na Argentina, país que já conta mais de cem "dinos". Ao tratar os fósseis como "máquinas do tempo", capazes de oferecer chaves de entendimento para as dinâmicas dos ciclos da vida e estabelecer a conexão entre os dinossauros e seus descendentes contemporâneos, as aves, o autor torna o tema instigante não só para os especialistas, mas também para o público em geral. Um livro que a Peirópolis – editora que, além de considerar a temática ambiental um de seus grandes valores, leva o nome de um dos sítios paleontológicos brasileiros, tem orgulho de publicar.
A obra é fruto de uma pesquisa de mais de dez anos feita pelo professor Luiz Eduardo Anelli, e inclui até dados obtidos a partir das mais recentes descobertas de fósseis no Brasil. “Quis fazer conhecidos dos brasileiros os dinossauros que viveram por aqui, pois nós sabemos pouco sobre o chão em que pisamos e existe uma longa história sob nossos pés”, reflete o autor.
Muitos fósseis já foram encontrados no Brasil, especialmente no Rio Grande do Sul, em Minas Gerais, no Ceará, em Pernambuco e no Maranhão. Entretanto, só 22 espécies são oficialmente reconhecidas.
Alguns dos esqueletos dessas espécies estão entre os mais antigos já encontrados e são fundamentais no estudo da origem e da evolução dos dinossauros. Esses vestígios apontam a América do Sul como o mais provável berçário dessa fascinante linhagem. 

Retorno às origens

Mais do que descrever a morfologia dos dinossauros, o livro investiga as origens desses animais, o ambiente em que viveram, seus hábitos, por que se diversificaram tanto e como desapareceram há 65 milhões de anos.
Para isso, o autor volta 4,6 bilhões de anos no tempo, até a época do surgimento da Terra. Mostra a origem da vida nos oceanos e as primeiras plantas e animais. Para que o leitor se sinta mais familiarizado com a evolução dos acontecimentos, os principais eventos da história da vida são associados às horas de um dia. “Somente a pouco menos de três horas do final do dia aparecem os primeiros animais invertebrados”, diz no livro.“Os brasileiros vão conhecer o tempo dos dinossauros, onde e como foram encontrados e qual o significado de cada um dentro da grande árvore da vida animal”, afirma Anelli.
A evolução dos animais é cuidadosamente documentada, desde o meio aquático. Um salto evolutivo nos leva até o período Jurássico, marcado pela multiplicação dos dinossauros, há 228 milhões de anos. “Esse grupo de animais é tão fascinante que é possível viajar com eles; é divertido estudá-los”, completa.

Os fósseis do vizinho são mais numerosos

O livro também faz uma comparação entre os achados do Brasil e da Argentina. Se fosse uma partida de futebol, nós perderíamos. Enquanto o Brasil tem 22 espécies de dinossauros registradas, os hermanos argentinos estão muito à frente, com 110.
Os argentinos também ganham de nós no quesito pioneirismo. O Staurikosaurus pricei, primeiro dinossauro documentado no Brasil, foi descrito na década de 1970. Já o primeiro fóssil argentino foi descoberto quase 80 anos antes. “Os argentinos são pioneiros na América do Sul”, afirma o autor.O autor explica que, embora o território brasileiro seja mais extenso, existem aspectos que justificam a abundância de fósseis na Argentina, como o clima, o relevo e os ambientes geológicos. “A vegetação variada, por exemplo, que atrai um maior número de herbívoros, contribui para essa discrepância”, acrescenta.
Ao fim do livro, o leitor encontra um catálogo ricamente ilustrado pelo paleoartista Felipe Alves Elias com todas as espécies de dinossauros brasileiros e informações sistematizadas sobre elas. As reconstruções, bem elaboradas, revelam detalhes sobre a anatomia e mostram a complexidade desses gigantes pré-históricos.

Fonte: Ciência Hoje On-Line (Adaptado do texto de Bruna Ventura em 01/12/2010)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade