Cheiro Forte do Suor Humano Atrai Mosquitos

Suor humano é o que tem cheiro mais forte entre todos os animais. Cientistas, que analisaram suor de humanos, pretendem criar composto para combater transmissão de dengue, febre amarela e malária

A constatação é um tanto desagradável, mas é a verdade: cientistas holandeses determinaram que o Homo sapiens é o mais malcheiroso de todos os animais. Seres humanos, quando transpiram, exalam um cheiro típico, mais forte que o de qualquer outro animal, que funciona literalmente como um convite para que mosquitos transmissores da malária, febre amarela e da dengue.A equipe de pesquisadores da Universidade Wageningen, na Holanda, analisou a composição do suor em humanos e outros mamíferos e com isso, pretende determinar quais componentes do suor fazem com que mosquitos identifiquem o alvo humano, e assim, abrir uma nova frente de combate na transmissão de doenças tropicais.
Segundo os cientistas, o típico odor do suor humano é causado por dois fatores: sua composição, que alimenta microorganismos presentes na pele, e alta volatilidade. A mistura de dióxido de carbono, amônia, ácido láctico e outros ácidos em si é inodora, mas a ação de bactérias na superfície da epiderme converte as várias substâncias presentes no suor em compostos voláteis e de aroma forte.
“Os seres humanos têm muitos micro-organismos que vivem em sua pele. Estes micro-organismos convertem os componentes do suor, como os aminoácidos, como parte de seu metabolismo, e assim o odor é liberado”, disse ao portal iG a entomologista Renate Smallegange, autora do estudo publicado no periódico científico Trends in Parasitology.
De acordo com o estudo, além das diferenças nas taxas de emissão de CO2 da respiração entre as espécies de vertebrados, os seres humanos têm uma grande variedade de ácidos carboxílicos e uma quantidade elevada de ácido lático em sua pele. Estas características únicas permitem aos mosquitos distinguir facilmente os humanos de outros vertebrados.
Para compreender que componente do suor atrai mosquitos, os pesquisadores compararam a composição e a distribuição das glândulas de suor em humanos e outros primatas. Os chimpanzés e os gorilas têm o suor composto por mais óleos, o que de acordo com os pesquisadores, provavelmente protegem sua pele. A distribuição das glândulas pelo corpo também é diferente. 
Os pesquisadores afirmam que a amônia e o ácido lático parecem ser as principais responsáveis pela atração de Aedes aegypti (mosquito da dengue e febre amarela) e de Anopheles gambiae (mosquito da malária). “A diferença entre cada indivíduo na produção de suor e em sua composição desempenham um papel importante na atração dos mosquitos”, disse Renate.
De acordo com o estudo, além da diferença entre o suor de humanos e outros animais, que pode ser percebido pelos mosquitos da malária, dengue e febre amarela, há também diferença entre os humanos, o que faz com que alguns atraiam mais mosquitos que outros.
‘Bebês e crianças são mordidos em menor freqüência por mosquitos Anopheles gambiae que os adolescentes e os adultos. Isto pode ser resultado da diferença de massa corporal ou diferença fisiológica”, afirma o estudo.
Outra curiosidade é que o Aedes aegypti é mais atraído pelo suor de homens, enquanto o Anopheles gambiae não distingue o gênero de acordo com o suor.
“Se pudermos determinar quais os componentes são usados por espécies de mosquitos que são vetores da malária humana ou da febre amarela ou dengue para localizar os seres humanos, nós poderíamos usar esses componentes para desenvolver misturas sintéticas que atraíssem estes mosquitos para longe de nós”, disse Renate.
De acordo com a pesquisadora, estas misturas atraentes poderiam ser usadas em programas de controle do vetor, ou seja, como iscas de odor em armadilhas do mosquito, tanto para fins de vigilância ou de captura de remoção.

Do Portal iG (em 06/04/2011)

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas