Galton e a "Ciência" da Quantificação

A paixão de Galton pela quantificação levou a desenvolver muitos dos princípios fundamentais da estatística moderna. Galton era primo e amigo de Darwin e foi muito influenciado pelo livro A Origem das Espécies.

O nome de Francis Galton está associado à eugenia. Porém, a eugenia era apenas um dos muitos interesses de Galton. Seus partidários referem-se a ele como um polímata; seus detratores como um diletante. Na verdade, ele deixou importantes contribuições em geografia, antropologia, genética, meteorologia, estatística e, por fundamentar a análise datiloscópica em sólidas bases científicas, em criminologia. Galton nasceu em 1822, filho de uma próspera família. Sua educação - parte em medicina, parte em matemática - foi, no geral, uma crônica de expectativas frustradas. A morte do pai, quando ele tinha 21 anos, simultaneamente liberou-o dos grilhões paternos e rendeu-lhe uma bela herança: o jovem Galton tirou proveito de ambos os fatos. Mas, depois de seis anos inteiros como um bom vivant fiduciário, Galton resolveu se assentar e tornar-se um membro produtivo da sociedade vitoriana. Ficou conhecido em chefiar em 1850-52 uma expedição até uma região pouco conhecida no sudoeste da África. É no relato de suas explorações que encontramos a primeira manifestação do fio que une todos os seus múltiplos interesses: sua paixão por contar e medir tudo. Galton só se sentia feliz quando podia reduzir um série de números.
A paixão de Galton pela quantificação levou a desenvolver muitos dos princípios fundamentais da estatística moderna. Foi também autor de algumas observações sagazes. Ele testou, por exemplo, a eficácia da oração. Sua hipótese de trabalho era que, casoa oração produzisse resultados, a queles por quem mais se rezava estaria em posição de vantagem. Para testá-la , estudou a longevidade dos monarcas britânicos. Todos os domingos , as congregações da Igreja Anglicana que adotam o Livro de Orações Habituais (peça-chave da liturgia anglicana, de 1549) suplicavam a Deus: “ Dotai com abundância o rei/rainha de dons celestiais; concedei-lhe saúde e riqueza e longo viver” Por certo, raciocinou Galton o efeito cumulativo de todas essas orações deveria ser benéfico. Mas logo constatou que a s rezas pareciam ser ineficazes e que, em média, os monarcas morriam até pouco mais jovens do que os outros membros da aristocracia britânica.
Galton era primo e amigo de Darwin, do qual recebeu inúmeros conselhos durante a temporada um tanto tortuosa que passou na faculdade. O avô de ambos, Erasmus Darwin, foi também um dos gigantes intelectuais de seu tempo. Mas foi o livro A Origem das Espécies que inspirou Galton a iniciar a cruzada social e genética cujas conseqüências acabariam sendo desastrosas: a eugenia.

Saiba mais sobre Galton no Biorritmo:
Genética: Ascenção e Queda da Eugenia (22/02/2010)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas