Gripe Aviária: África do Sul Sacrifica 10 Mil Avestruzes


O país calcula que 70% da produção de avestruz do Cabo Ocidental estão contaminadas, o que levou a paralisar as exportações


Cerca de 10 mil avestruzes destinados ao consumo humano foram sacrificados devido a um surto de gripe aviária registrado no sudoeste da África do Sul no dia 9 de abril, comunicou nesta terça-feira (24/05/2011) o Ministério da Agricultura do país. A Administração sul-africana calcula que 70% da produção de carne de avestruz da província do Cabo Ocidental, estão contaminadas, o que levou a paralisar as exportações, segundo a agência de notícias local "Sapa".
"Ao todo, 10 mil avestruzes já foram sacrificados e não podemos calcular o número absoluto de animais afetados, já que a doença continua se espalhando", informou o Ministério em comunicado.Outras sete fazendas da região terão de seguir o mesmo procedimento como medida preventiva, depois que vários testes acusaram resultado positivo.
Amostras estão sendo colhidas em outros criadouros de avestruz em Klein Karoo, na província do Cabo Ocidental, segundo os técnicos do Ministério da Agricultura, que confirmaram a paralisação das exportações desta carne.
A Comissão Europeia - órgão executivo da União Europeia (UE) - enviou no último dia 19 à África do Sul uma equipe veterinária de emergência para ajudar as autoridades locais a controlar o surto. O foco, detectado em 9 de abril em várias fazendas da província do Cabo Ocidental, se propagou nas últimas semanas pela região, expondo esses animais ao perigo.
Gripe aviária é o nome dado à doença causada por uma variedade do vírus Influenza (H5N1) hospedado por aves, mas que pode infectar diversos mamíferos. O H5N1, vírus causador da gripe aviária, é um tipo de vírus Influenza, o responsável pela gripe comum. O Influenza pode ser dividido em três tipos: A, B e C. O tipo A subdivide-se ainda em vários subtipos, sendo os subtipos H1N1, H2N2 e H3N2, responsáveis por grandes epidemias e pandemias. O "H" significa "hemaglutinina", enquanto o "N" significa "neuraminidase", que sao duas glicoproteínas presentes no envelope viral, e usadas para sorotipagem (classificação de subtipos baseado em padrões de reconhecimento por anticorpos) de vírus da influenza tipo A. O tipo B também tem originado epidemias mais ou menos extensas e o tipo C está geralmente associado a casos esporádicos e surtos localizados. Exceto no nível molecular, a doença se parece muito pouco com a gripe que todos pegamos de vez em quando. O vírus pode tornar-se uma grande ameaça para os humanos se sofrer alguma mutação transformando-se em algo perigosamente desconhecido pelo nosso organismo e capaz de passar de uma pessoa para outra através de espirro, tosse ou contato físico.


Fontes: EFE e Wikipedia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas