Novidade no Estudo da Infertilidade Masculina


                  Perda de uma proteína que envolve o espermatozóide pode explicar uma parte da infertilidade nos homens de todo o mundo


A perda de uma proteína que envolve o espermatozoide pode explicar uma proporção significativa da infertilidade nos homens de todo o mundo, de acordo com o estudo realizado por uma equipe internacional de pesquisadores liderados pela University of California, Davis. A pesquisa poderá trazer novas formas de detectar e tratar infertilidade entre casais.
De acordo com o professor Gary Cherr, a proteína DEFB126 age como um "dispositivo de camuflagem", permitindo que os espermatozoides nadem através do muco e evitem o sistema imunológico, a fim de atingir o óvulo. Mas, os pesquisadores descobriram que muitos homens carregam um gene defeituoso para a produção da proteína DEFB126 . Uma pesquisa de amostras dos EUA, Reino Unido e China revelou que mais de um quarto dos homens em todo o mundo carregam duas cópias do gene defeituoso, o que pode afetar de forma significativa sua fertilidade.
A infertilidade afeta de 10% a 15% da população dos Estados Unidos, segundo o professor de urologia John Gould. Cerca de metade dos casos envolvem problemas com a fertilidade masculina. Um dos mistérios da fertilidade humana é que a qualidade e a quantidade do esperma parecem ter pouco a ver com o fato de um homem ser ou não fértil, disse o professor Ted Tollner.
"Em 70% dos homens, não é possível prever a fertilidade com base na contagem de esperma e avaliação de rotina da qualidade do esperma. Estudos como este podem nos dar oportunidades para explicar estes casos", explica Cherr. A proteína DEFB126 pertence a uma classe de moléculas chamadas defensinas, assassinas naturais de germes encontradas em superfícies mucosas. Ela é produzida no epidídimo e depositada nos espermatozoides no epidídimo para formar uma camada de espessa.
Os espermatozoides de homens com genes DEFB126 defeituosos parecem normais sob um microscópio e nadam como espermas normais. Mas eles são muito menos capazes de nadar através de um gel artificial feito para imitar o muco cervical humano. A equipe descobriu que quando a proteína normal é adicionada aos espermatozoides, eles recuperaram a capacidade normal. Eles preveem também que, em todo o mundo, cerca de metade dos homens carregam uma cópia defeituosa; um quarto deles têm duas cópias defeituosas e, portanto, produzem espermatozoides que são fracos na natação através do muco.
Em colaboração com Xue Liu e outros cientistas da Anhui Medical University, em Anhui (China), a equipe de epidemiologia - liderada pelo pesquisador Scott Venners, da Simon Fraser University (Canadá) - conseguiu observar o efeito da mutação em um grupo de casais que tentavam engravidar. Eles encontraram uma diminuição estatisticamente significativa no número de gestações nos casais onde o homem carregava duas cópias do gene DEFB126 defeituoso.
"Como pode uma mutação que afeta a fertilidade ser tão surpreendentemente comum? Pode ser que os heterozigotos - homens com um gene normal e um gene defeituoso, mas com fertilidade normal - sejam favorecidos de alguma maneira", disse Tollner.
Alguns pesquisadores acreditam que, por razões desconhecidas, a fertilidade masculina humana vem caindo em todo o mundo nas últimas décadas. E este declínio pode estar desmascarando os problemas associados ao gene DEFB126 defeituoso.
Cherr disse que eles esperam trabalhar da próxima vez com um programa de pesquisa sobre a infertilidade maior nos Estados Unidos para explorar ainda mais o papel da mutação.
Fonte: Isaude.net

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas