Inspeção Sanitária nos Cruzeiros

A Anvisa inspecionou os navios de cruzeiros que passaram pela costa brasileira na última temporada e identificou problemas sanitários em 30% das embarcações 
A Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) informou em 14 de setembro de 2011 que 30% dos navios cruzeiros que passaram pelo país na temporada 2010/2011 apresentaram problemas sanitários. Em 44% dos casos, as irregularidades estavam nos alimentos. A água ficou em segundo lugar, com 30% dos casos. Dos 45 navios que passaram pela costa brasileira, 41 foram vistoriados. Dentre as irregularidades, havia alimentos fora da temperatura ideal ou armazenados em local inadequado. Os sistemas de self-service (auto serviço) no tinha talheres embalados em invólucros descartáveis.
Os problemas com água e alimentos podem aumentar a contaminação pelo norovírus, principal causador de diarreia. Os norovírus são um grupo de vírus (anteriormente conhecidos como “Norwalk-like viruses”) que podem afetar o estômago e o intestino. Esses vírus podem causar gastroenterite em seres humanos, que é uma inflamação do estômago e intestino grosso. A gastroenterite também é chamada de infecção “calicivírus” ou intoxicação alimentar, apesar de nem sempre ter relação com comida.Os norovírus são encontrados nas fezes ou vômito de pessoas infectadas e nas superfícies infectadas que tenham sido tocadas por pessoas doentes. Os surtos ocorrem com mais freqüência onde há concentração de pessoas em áreas de tamanho reduzido, como, por exemplo, em casas para idosos, restaurantes, eventos servidos por bufês e navios de cruzeiro.

Segundo a Anvisa a temporada teve menos casos de doenças: 792 contra 4.441 em 2009/2010. cerca de 200 autos de infração foram aplicados pela agência no período. Não foram registradas multas gravíssimas. A Anvisa informou também que o Costa Fortuna (Costa Cruzeiros) teve o maior número de irregularidades. Pelo menos 22% dos itens vistoriados estavam fora dos padrões.
Sobre este assunto, o leitor Gabriel Marcucci, que já trabalhou como snack attendant em barcos de cruzeiro, informou pelo site do Jornal Destak Rio: "Nós morríamos de medo da United States Public Health, responsável pela inspeção sanitária. Ela não deixa um detalhe de fora. O barco é revistado de cima a baixo. A nossa nave tirou 100% com ela uma única vez. Quando perguntei a um cozinheiro sobre a inspeção brasileira, ele riu na minha cara. Isso serve para indicar o quanto as tripulações dos barcos repeitam a Anvisa"
Veja também no Biorritmo: Os cruzeiros marítimos e seus impactos ambientais (27/06/2009)
Fonte: Jornal Destak Rio

Comentários

  1. Nossa é um numero alto de cruzeiros em condições sanitárias irregulares.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade