Os Fundamentos da Ciência do Biorritmo

O Biorritmo é uma teoria sem comprovação científica que diz que você pode calcular os dias bons e ruins (chamados apropriadamente de dias críticos) na sua saúde, nos seus relacionamentos e negociações. A base para este cálculo foi criado no início do século 20 pelo psicólogo vienense Hermann Swoboda e o médico de Berlim, Wilhelm Fliess. Fliess (1858-1928) foi o autor de três teorias que hoje se sabe serem pseudocientíficas, ou seja, sem fundamento científico: a primeira dela foi a da chamada neurose nasal reflexa, segundo a qual Fliess postulava haver uma conexão entre a mucosa nasal e os órgãos genitais. Segundo a teoria, uma maneira rápida e eficiente de curar uma neurose histérica, seria remover parte da mucosa e ossos internos do nariz. A segunda teoria era a da bissexualidade inerente a todos os seres humanos, e que Freud chegou a incorporar ao seu corpo teórico. Finalmente, a terceira foi a teoria da periodicidade vital, que postulava uma espécie de biorritmo, pelo qual todos os processos vitais (os patológicos incluídos) se desenvolveriam segundo um ciclo que duraria 28 dias nas mulheres, e 23 dias nos homens. Segundo Fliess, esses vários relacionamentos numéricos poderiam ser úteis para determinar a hora para a recuperação após alguma doença, por exemplo e, até mesmo a data provável para a morte de alguém.  O ser humano possui diversos ciclos biológicos como por exemplo o ciclo menstrual, ciclo do sono, da fome, dos batimentos cardíacos entre outros. Segundo os estudiosos do assunto,  o biorritmo vai analisar os três ciclos biológicos básicos: o físico, o emocional e o intelectual. O ciclo físico é representado no gráfico do biorritmo pela linha vermelha e é gerado através de nossas células musculares e seus efeitos são sentidos na vitalidade física e disposição para realizar tarefas que necessitem de nossa força muscular. Em sua fase positiva nos proporciona uma sensação de bem estar, mais disposição física, e conseqüentemente ficamos mais resistentes a doenças e/ou viroses. Esse ciclo não mostra como está nossa saúde, mas indica a fase em que ela se apresenta mais propensa à debilidades, cansaços e como vamos nos comportar diante de uma situação.
O ciclo emocional se processa a cada 28 dias, e controla a nossa sensibilidade, sentimentos, emoções e o temperamento, sempre dependendo das situações em que nos encontramos. O ciclo emocional é representado no gráfico pela linha azul. É gerado através de nossas células nervosas e seus efeitos são sentidos na nossa estabilidade emocional, capacidade de aceitar situações com maior controle e motivação interior. Devemos lembrar que este ritmo é um dos mais importantes que possuímos, pois interfere diretamente aos ciclos físico e intelectual tornando-se coadjuvante e devendo ser analisados em conjunto. Este ritmo enfim tem a capacidade de interferir de forma consciente todo o nosso metabolismo interno, processando no nosso intelecto e no nosso físico o que nossa emoção determina.
O ciclo intelectual controla a nossa capacidade de raciocínio e lógica. No gráfico o ciclo intelectual é representado pela linha verde. Ele é gerado através de nossas células cerebrais correspondentes ao hemisfério esquerdo, e seus efeitos são sentidos em nossa capacidade de raciocínio, rapidez na compreensão e lógica. Porém ele não mede a nossa inteligência, apenas indica as fases favoráveis e desfavoráveis respeitando sempre o potencial de cada um.
Para muitos pesquisadores, a ciência do biorritmo está relacionado com os estudo sobre o ritmo circadiano. Ritmo circadiano,  designa o período de aproximadamente um dia (24 horas) sobre o qual se baseia todo o ciclo biológico do corpo humano e de qualquer outro ser vivo, influenciado pela luz solar. O ritmo circadiano regula todos os ritmos materiais bem como muitos dos ritmos psicológicos do corpo humano, com influência sobre, por exemplo, a digestão ou o estado de vigília, passando pelo crescimento e pela renovação das células, assim como a subida ou descida da temperatura. O "relógio" que processa e monitora todos estes processos encontra-se localizado numa área cerebral denominada núcleo supraquiasmático, localizado no hipotálamo na base do cérebro e acima da hipófise. Pesquisas recentes expandiram o sentido do termo, demonstrando que os ritmos circadianos estão também relacionados às marés, ao ciclo lunar e também à dinâmica climática da Terra através das correntes eólicas e marítimas, em especial se observado com relação aos animais migratórios. Dessa forma, a dinâmica circadiana não se reduz a uma questão fisiológica, mas também a uma conjuntura astronômica, geológica e ecológica.
Segundo o professor Luiz Almada. físico e  estudioso do biorritmo, ele não "prevê" nosso futuro e nem a ação externa em nosso dia a dia. A análise do biorritmo calcula como estará nosso ritmo energético ou estado biológico numa determinada data, seja passado presente ou futuro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas