Conheça as Coleções Biológicas do IOC

Destaque entre as ações de preservação de patrimônio da Fiocruz, as Coleções Biológicas sob a guarda do IOC conservam milhões de amostras. Os acervos incluem a mais completa coleção entomológica da América Latina, coleções microbiológicas (de fungos, bactérias e protozoários), zoológicas (de helmintos e moluscos, entre outros), além de acervo na área de patologia. As Coleções são a base da estruturação do primeiro Centro de Recursos Biológicos em Saúde (CRB-Saúde), em fase de organização.
As mais antigas datam do início do século XX, quando, durante expedições científicas, pesquisadores do Instituto coletavam e analisavam espécimes de diferentes regiões do Brasil. Algumas das Coleções representam a biodiversidade genética de bactérias, protozoários, fungos e vetores de importância médica. Outras preservam a memória epidemiológica de importantes agravos, conservam as variações nos agentes etiológicos ao longo do tempo e as populações genéticas diversas de organismos relacionados a pesquisas em saúde pública. Há ainda aquelas que guardam acervos microbiológicos com potencial para a produção de novos insumos de interesse biotecnológico.
A importância das Coleções Biológicas do IOC foi reconhecida pelo Ministério do Meio Ambiente em 2005, quando as coleções Helmintológicas, Micológica, Entomológica, Malacológica, de Culturas do Gênero Bacillus e Gêneros Correlatos, de Febre Amarela, de Leishmania e de Cultura de Fungos receberam o status de “fiéis depositárias” de amostras de componentes do patrimônio da biodiversidade brasileira. Conheça um pouco mais sobre as Coleções:

Coleções Microbiológicas
Coleção de Bactérias da Mata Atlântica
Possui atualmente em seu acervo 800 isolados correspondentes a cerca de 100 morfotipos de cinco diferentes tipos de solo.
Coleção de Culturas de Bacillus e Gêneros Correlatos
Preserva e conserva espécies de Bacillus incluindo novos gêneros de esporulados aeróbios correlatos. Seu acervo conta com aproximadamente 1.550 estirpes.
Coleção de Culturas de Bactérias de Interesse em SaúdeAcumulado ao longo de sete décadas, o acervo possui 200 mil isolados de bactérias pertencentes aos gêneros Salmonella, Shigella, Vibrio, Escherichia e centenas de representantes de outros grupos de Gram-negativos.
Coleção de Culturas de Fungos FilamentososSeu acervo reúne cerca de 2.100 cepas de fungos de diferentes grupos taxonômicos, isolados de diferentes substratos. Desenvolve e aprimora métodos de cultivo, caracterização e preservação de espécimes fúngicas.
Coleção de Leishmania
O acervo engloba protozoários do gênero Leishmania (Kinetoplastida; Trypanosomatidae), representando as espécies reconhecidas (patógenos e não-patógenos humanos) e genótipos específicos com representatividade da biodiversidade estudada em leishmanias neotropicais.
Coleção de Trypanosoma de Mamíferos Silvestres, Domésticos e VetoresReúne aproximadamente 500 exemplares de isolados do taxon Trypanosoma cruzi obtidos de diferentes espécies de hospedeiros silvestres, domésticos e vetores dos biomas brasileiros.
Coleção Micológica de Trichocomaceae
Reúne centenas de culturas fúngicas isoladas de produtos agrícolas, de rações e componentes empregados na produção animal, de humanos, de animais domésticos.  
Coleções Zoológicas
Coleção de Artrópodes Vetores Ápteros de Importância em Saúde das ComunidadesReúne mais de 18 mil espécimes brasileiras e exóticas em um acervo dividido nas seções Ixodológica (Carrapatos), Acarológica (Ácaros), Siphonaptera (Pulgas) e Phthiraptera (piolhos).

Coleção de Ceratopogonidae
O acervo inclui espécies tipos da fauna neotropical dos ceratopogonídeos – família de insetos da ordem Díptera – de importância médico-veterinária e agrícola, com exemplares provenientes de 13 países da América Latina e EUA.


Coleção de Culicideos
Abriga aproximadamente 2 mil espécimes da família Culicidae, agregando exemplares da região neotropical, incluindo material tipo de espécies descritas pela equipe do Laboratório de Transmissores de Hematozoários.
 
Coleção HelmintológicaFormada por 37 mil amostras, é a maior da América Latina. O acervo reúne helmintos de animais da fauna brasileira, incluindo biomas como o da Amazônia, Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga, Pantanal e Pampa, Urbano, Águas continentais e marinhas.
Coleção de Moluscos
Com acervo formado por mais de 15 mil espécimes de moluscos, é Fiel Depositária do patrimônio Genético Brasileiro junto ao Ministério do Meio Ambiente.
 
Coleção de Simulídeos
Possui 4.500 lotes de insetos conhecidos como borrachudos ou piuns. Desde 2005, a coleção incorpora a entomofauna associada aos criadouros de Simulídeos provenientes, principalmente, de áreas impactadas por hidroelétricas no Brasil.
Coleção de Triatomíneos
Reúne cerca de 24 mil exemplares de insetos da ordem Hemíptera, divididos nas coleções Herman Lent, Rodolfo Carcavallo, Coleção em álcool de Triatomíneos e a Coleção viva de Triatomíneos, que atualmente mantém 65 espécies. 
Coleção EntomológicaIniciada pelo próprio Oswaldo Cruz em 1901, é a coleção mais antiga do IOC. Seu acervo é considerando um dos mais ricos da América Latina, com 5 milhões de exemplares de insetos que representam quase todas as ordens conhecidas.
Coleção Histopatológica

Coleção de Febre Amarela
Uma das maiores coleções de referência histopatológica de fígado do mundo, reúne aproximadamente 500 mil amostras de fígado coletadas entre as décadas de 1930 e 1970 no Brasil e em países vizinhos. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade