Entomologia Forense

Insetos como escaravelhos são utilizados pela entomologia forense na elucidação de acontecimentos como assasinatos, suicídios, violação e, até mesmo, abusos e tráfico por contrabando

A entomologia forense é uma subdivisão da entomologia (ciência especializada no estudo dos insetos) e estuda  a utilização dos insetos para determinar a data e, se possível, a causa da morte de seres humanos. Para esse fim são utilizados os insetos encontrados em corpos em fases avançadas de decomposição. Certas técnicas de observação de seus efeitos ficaram populares em episódios exibidos nos seriado de TV como CSI (Crime Scene Investigation ), principalmente quando usam animais de grande porte, como porcos, por terem mais semelhanças estruturais com o ser humano. Assi, usam o animal morto como cenário, espalham insetos sobre eles e observam a maneira como eles se instalam.

Hoje a entomologia forense divide-se em três campos distintos: urbano, armazenamento de produtos e médico-legal. A entomologia urbana inclui ações cíveis nas quais a presença de insetos é verificada em imóveis, provocando danos, como a presença de cupins; é muito usada em ações envolvendo compra e venda de imóveis. A de produtos estocados analisa a contaminação em grande extensão de produtos comerciais estocados, como pelo caruncho, um besouro que ataca o feijão. A médico-legal é aquela em que a área criminal está envolvida.
Segundo a literatura especializada, a modalidade médico-legal "insere-se no aparecimento de artrópodes em acontecimentos como assassinatos, suicídio e violação, mas também abarca casos de abuso e tráfico por contrabando". nas investigações observam-se os insetos que botam ovos no cadáver, sua posição em relação ao corpo e a ordem hierárquica que aparecem. Isso ajuda na determinação do intervalo post-mortem (chamado tecnicamente de cronotanatognose) e  a localização original do corpo tenha sido movido.
Há vários tipos de insetos que podem estar envolvidos nesse processo, mas os que mais ajudam a colher dados são os que se alimentam do cadáver (chamados de necrófagos), que são predadores e relacionados com a entomologia médico-legal. Dois grupos de insetos são importantes nas investigações criminais: as moscas (10 famílias) e os escaravelhos (8 famílias). Na maioria das vezes, as moscas são as primeiras a chegar ao corpo. Preferem cadáveres úmidos, para que suas larvas possam se alimentar. Já os escaravelhos são encontrados  em corpos mais decompostos ou em estágio mais avançados de decomposição. Quando as condições climáticas  são mais secas, podem ser substituídos por moscas da família Psichodidae.
As primeiras observações de insetos e outros artrópodes como indicadores forenses foram documentadas na Alemanha e na França durante exumações em massa efetuadas no final da década de 1880 pelo médico e entomologista alemão Hermann Reinhard (1816-1892) e  pelo médico austríaco Eduard Von Hofmann (1837-1897), considerados os co-fundadores da disciplina. Depois que o livro do veterinário e entomologista francês Jean Pierre Mégnin (1825-1905) foi lançado, os aspectos aplicados da entomologia forense espalharam-se rapidamente pelo Canadá  e Estados Unidos.
O entomologista forense possui, basicamente, três objetivos principais quando começa uma investigação, a saber: 1) datação da morte por meio do estudo da fauna cadavérica; 2) determinação da época do ano em que ocorreu a morte; 3) verificar se a morte ocorreu no local em que o corpo foi encontrado ou se houve remoção. 
Além desses objetivos importantes do ponto de vista da medicina legal, existem outras aplicações práticas da entomologia forense como, por exemplo, no combate ao tráfico de entorpecentes. É possível identificar a origem da Cannabis sativa (maconha) com base na identificação dos insetos acompanhantes da droga. Eles teriam ficados presos no momento da prensagem lá ficando retidos. Assim, ajudariam na determinação da rota do tráfico com base em sua distribuição geográfica.
Outra aplicação prática é na investigação de maus tratos de menores. quando uma criança é privada de cuidados de higiene pessoal, é possível precisar por quantos dias ela ficou sujeita a esse tipo de trato apenas com base na idade das larvas de moscas encontradas em fraldas e camas.
Fonte: Livro "Os Segredos da Investigações Criminais" de Sérgio Pereira Couto (Vol.1, Universo dos Livros Ed. Ltda São Paulo, 2009)
Saiba mais no Biorritmo:

Comentários

  1. Legal! Atente porem que o besouro mostrado nao eh um escaravelho, mas um tenebrionidio.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas