O Aperto de Mão Secreto dos Chimpanzés


Cientista tentam desvendar o segredo do intrigante aperto de mãos que os chimpanzés exibem durante a arrumação da pelagem. Genética ou cultura?

Chimpanzés que exibem o incomum comportamento de dar as mãos durante a fase de arrumação da pelagem (designada como "grooming" pelos especialistas ) pode estar demostrando um aspecto da sua cultura, sugere uma nova pesquisa. O termo grooming é originário do inglês e não possui uma tradução literal para o português, significando na maioria das vezes  cuidar da aparência ou da higiene, manter limpo e arrumado Estes apertos de mão dos chimpanzés, que são vistos apenas entre alguns dos primatas, parecem diferir de grupo para grupo de forma que não são dependentes de genética ou o do ambiente. As diferenças culturais entre os grupos surge como uma possível explicação para o por que e como o enlace de mãos ocorre.
"Nós achamos que isso pelo menos indica que chimpanzés não só respondem ao seu meio ambiente, instintivamente ou com base em predisposição genética ", disse o pesquisador Edwin van Leeuwen,  doutorando no Instituto Max Planck de Psicolinguística, na Holanda
Este comportamento foi observado em um grupo de chimpanzés na Tanzânia, e tem sido observado em pelo menos 15 outros grupos também."Não está claro se a diferença é puramente social, ou se existem fatores genéticos ou ambientais que o explicam",  disse van Leeuwen à LiveScience
No Wildlife Chimfunshi Orphanage Trust (CWOT) na Zâmbia, vários grupos de chimpanzés semi-selvagens  vivem isolados em áreas de  50 a 200 acres de floresta. Cerca da metade dessas chimpanzés são resgates da natureza, e a outra metade são nascidos de mães resgatadas pelo CWOT. Esta mistura de animais significa que não existem grandes diferenças genéticas entre os grupos, como seria visto em famílias relatadas na natureza.
Os chimpanzés também compartilham o mesmo ambiente, embora eles são separados por cercas e não podem ver um ao outro. Isso os torna um perfeito estudo de caso para  a compreensão das diferenças sociais entre eles", disse van Leeuwen.
Van Leeuwen e seus colegas observaram os chimpanzés por mais de 1.000 horas entre 2010 e 2012, registrando o comportamento "grooming" dos primatas . Eles descobriram que dos quatro grupos mantidos no santuário, dois deles nunca eram vistos de mãos dadas enquanto praticavam o  "grooming". Os outros dois grupos foram observados apertando as mão a maior parte do tempo durante a arrumação da pelagem, mas mesmo assim com diferenças. O Grupo 1 quase sempre entrelaçou suas mãos palma com palma, enquanto o Grupo 2 enganchou seus pulsos durante a fase de "grooming". 
Os pesquisadores também observaram chimpanzés jovens aprendendo os apertos de mão dos mais velhos, van Leeuwen disse. Cerca de 80 por cento do tempo, os chimpanzés juvenis praticam o entrelaçamento de mão primeiro com as suas mães
"O fato de que esse comportamento veio de  longa data e parece ser transmitida através de gerações sugerindo que os apertos de mão pode ser uma forma rudimentar de cultura", van Leeuwen disse. Outros estudos descobriram que diferentes grupos de chimpanzés usam ferramentas de forma diferente , o que sugere diferenças culturais semelhantes, mas este é o primeiro exemplo de diferentes interações sociais entre os grupos, disse.
"A indicação pode ser que os chimpanzés têm a capacidade, no mínimo, para responder ao seu ambiente com mais flexibilidade", disse van Leeuwen. "É a flexibilidade social e é claro que nós definitivamente vemos isto nos seres humanos."
Os pesquisadores publicaram esse trabalho no dia  28 de agosto na revista Proceedings of the Royal Society B.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas