Um Peixe Fora D'Água

Experiências com um peixe africano que é capaz de "caminhar" em terra firme usando as suas nadadeiras peitorais, está servindo para os cientista formularem novas hipóteses sobre a origem dos vertebrados terrestres atuais, grupo conhecido genericamente como tetrápodes.


Pesquisadores da Universidade McGill em Montreal, no Canadá, usaram um peixe africano chamado 'Polypterus senegalus' para analisar o que aconteceu quando os primeiros peixes saíram da água há 400 milhões de anos para dar origem aos tetrápodes, grupo atual de vertebrados terrestres. De acordo com os pesquisadores, Polypterus senegalus, é um Actinopterygii (peixes com nadadeiras suportadas por "raios" ou lepidotríquias). Essa espécie pode ser encontradas na região tropical no leste da África.
Este peixe que respira o oxigênio do ar, "anda" na terra e se parece muito com os antigos peixes que evoluíram para os tetrápodes, apresentou neste estudo mudanças anatômicas e comportamentais significativas quando foi levado da água para terra.
A equipe de cientistas pôs um jovem exemplar de 'Polypterus' na terra durante quase um ano, com o objetivo de desvendar como eram estes peixes 'terrestralizados' e como se moviam. Há cerca de 400 milhões de anos, um grupo de peixes começou a explorar o ambiente terrestre e se converteu nos tetrápodes- os anfíbios, répteis, aves e mamíferos atuais-, porém continua sendo um mistério como este antigos peixes utilizavam seus corpos e nadadeiras em terra e que processos evolutivos entraram em jogo.
A experiência de levar 'Polypterus' para a terra foi publicada junto com um vídeo na revista Nature. Trata-se de um experimento único que oferece novas ideias sobre como os peixes fósseis podem ter utilizado suas nadadeiras em ambiente terrestre e quais foram os processos evolutivos que atuaram nessa transição. Segundo os autores da pesquisa: "Este é o primeiro exemplo que conhecemos que demonstra a plasticidade do desenvolvimento agindo como um facilitador para uma transição evolutiva em grande escala, mediante o acesso a novas anatomias e comportamentos que mais tarde poderiam ser fixadas geneticamente pela seleção natural."
Em sua conclusão, o artigo sugere que a capacidade de um dado organismo relacionada a seu desenvolvimento em modificar seu comportamento em resposta à mudança - chamado plasticidade do desenvolvimento - possivelmente ajudou na transição fundamental para a terra dos antigos ancestrais dos tetrápodes. Essa característica é observada em outros grupos de peixes, como os mudskippers (saltadores do lodo). 
Os autores disponibilizaram um vídeo ( em inglês) que relata a experiência, Assista:


Fonte: Europa Press

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade