Comparando Nossos Primos

Embora chimpanzés e bonobos possam ser confundidos, dada à semelhança morfológica, eles exibem comportamentos sociais bem distintos. Chimpanzés e bonobos são os primatas que apresenta o parentesco mais aproximado com os humanos.

Os bonobos (Pan paniscus) são os primatas que estão mais geneticamente próximos dos humanos. A partir de um ancestral comum, chimpanzés (Pan troglodytes) e bonobos tornaram-se espécies distintas há 900.000 anos. Mesmo sendo quase da mesma altura, eles têm proporções corporais diferentes. Os bonobos são mais esguios, com pernas mais compridas e mãos, cume da testa e orelhas menores. O crânio dos chimpanzés é mais alongado, mais ambos possuem o cérebro do mesmo tamanho. A mandíbula e os dentes dos bonobos são menores, porém são tão fortes quanto os dos chimpanzés.
Quanto à aparência geral, os bonobos são menores, com rostos negros, lábios rosados e longos cabelos negros, nitidamente divididos ao meio. Chimpanzés têm vozes de baixa frequência enquanto as vozes bonobos são de alta-frequência.
Apesar da proximidade, chimpanzés e bonobos apresentam comportamentos bem distintos. A sociedade dos bonobos é dominada pelas fêmeas e seus filhos, são animais bem mais sexualizados, resolvendo a maior parte das intrigas com sexo. São animais bissexuais, cumprimentam-se com beijos e praticam sexo em diferentes posições. Já a sociedade dos chimpanzés é controlada por um macho alfa. As desavenças são resolvidas com violência ou ameaças. Fazem alianças, planejam ataques em conjunto e o macho alfa vigia de perto a ascensão de qualquer outro macho jovem que pode ameaçar seu poder.
Recentemente, O primatologista Brian Hare e seus colegas descobriram que os bonobos são "compartilhadores naturais". Seus trabalhos, publicados numa recente edição do "Current Biology" e financiado pela National Science Foundation e pelo Conselho Europeu de Investigação, descreve que os bonobos compartilham o alimento uns com os outros e não param de fazer isso com o passar do tempo, ao contrário dos chimpanzés que tendem a ficar mais egoístas a medida que envelhecem.
Em um experimento, os animais confinados foram autorizados a manter uma pilha de comida toda para si ou para abrir uma porta de uma forma que permita um outro bonobo para entrar na sala e comer junto. Invariavelmente, eles abriram a porta. "O que descobrimos é que os bonobos voluntariamente escolhem abrir a porta para seu vizinho, para que possam compartilhar a comida", disse Hare.
Um outro conjunto de experimentos, no Santuário Tchimpounga no Congo, fez a comparação entre chimpanzés e bonobos. Os chimpanzés jovens foram bastante semelhantes aos bonobos jovens na sua vontade de compartilhar alimentos, mas os pesquisadores descobriram que os chimpanzés se tornaram menos dispostos a partilhar à medida que cresciam. Bonobos, por outro lado, continuaram a partilhar como juvenis e mesmo depois de atingirem a idade adulta, eles disseram.
Hare e seu mentor, Richard Wrangham em Harvard, acreditam que os bonobos agem desta forma porque sempre gozaram de um ambiente abundante. Eles normalmente vivem ao sul do rio Congo, onde há abundância de comida, sendo assim não precisam competir com chimpanzés, gorilas nem uns com os outros.
No entanto, os bonobos têm inimigos humanos, especificamente os caçadores envolvidos no comércio internacional ilegal da carne de animais selvagens. Os conservacionistas estão trabalhando para salvar os bonobos, que ficaram órfãos por causa dessas atividades, abrigando-os em santuários, onde ficarão protegidos destas atividades.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas