O Segredo da Coloração dos Peixes


Um estudo realizado por pesquisadores do CSIC (Espanha) identificou o gene que regula a formação do padrão dorso-ventral da pigmentação no peixe-zebra (foto). Em peixes, como em outras espécies, este padrão de pigmentação é uma estratégia para evitar predadores.


Um estudo internacional liderado pela CSIC (Conselho Superior de Pesquisas Científicas da Espanha) descobriu que a cor dos peixes resulta da interação de dois mecanismos de pigmentação independentes.
Especificamente, o trabalho, publicado na revista Pigment Cell and Melanoma Research identificou o gene que regula o padrão de pigmentação dorso-ventral, fundamental na estratégias anti-predação dos peixes. Segundo os autores, os resultados desta pesquisa vai abrir novos caminhos no estudo dos fatores que controlam as variações naturais na coloração dos animais e seus problemas de pigmentação, como o pseudoalbinismo e a hipermelanose.
"A maioria das espécies apresentam um padrão de pigmentação dorso-ventral caracterizado por uma região dorsal de cor escura e uma região ventral de cor clara. Nos peixes, este padrão é de especial utilidade frente aos predadores. Uma zona dorsal escura dificulta a visão da presa quando se a observa da superfície porém, ao contrário, uma região clara distorce a visibilidade quando a presa é atacada a partir do fundo da água", explica o pesquisador da CSIC, Jose Miguel Cerdá-Reverter, do Instituto de Aquicultura de Torre de la Sal, em Castellón, Espanha.
O trabalho demonstra que a coloração do peixe-zebra é gerada mediante a superposição de dois padrões de pigmentação distintos. Um padrão de pigmentação dorso-ventral, evolutivamente muito antigo, determinado pela expressão regional do gene Asip, que codifica a proteína de sinalização aguti e um segundo padrão pelo qual o peixe-zebra desenvolve a sua chamativa coloração listrada e que é evolutivamente mais recente. A superposição de ambos padrões dá lugar a coloração característica do animal.
"Os mecanismos que regulam ambos padrões de pigmentação funcionam em maior grau de forma independente já que a sobre-expressão do gene Asip determina que a região dorsal adquira características da ventral, enquanto que o padrão listrado apenas sofra modificações. Os resultados mostram que o processo evolutivo conseguiu implantar uma nova característica, o padrão listrado, sem modificar o padrão básico de pigmentação ancestral", acrescenta o pesquisador da CSIC, Joseph Rotlland, do Instituto de Pesquisas Marinhas de Vigo.

Artigo científico:
Rosa M. Ceinos, Raúl Guillot, Robert N. Kelsh, José Miguel Cerdá-Reverter, Josep Rotllant. Pigment patterns in adult fish result from superimposition of two largely independent pigmentation mechanisms. Pigment Cell and Melanoma Research. DOI: 10.1111/pcmr.12335
Fonte: Europa Press

Comentários

  1. Essa pesquisa pode ser de grande ajuda para os animais com problemas de adaptação ao meio já que entendendo o mecanismo de pigmentação é provável que consiga altera-la em outros seres assim ajudando-os a se adaptarem ao seu meio com mais facilidade, alem de ser uma coisa interessante de se pesquisar pois muitos peixes tem colorações exóticas e um bom exemplo deles que estão no testo é o peixe-zebra que tem duas misturadas em listras.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas