Uma Receita Para Acabar Com a Fome Mundial

Mais da metade do desperdício de alimentos na Europa, EUA, Canadá e Austrália ocorre na fase do consumo. Juntos, os países ricos são responsáveis por 56% de todo o desperdício. Enquanto nos países em desenvolvimento, cerca de dois terços da comida é perdida após a colheita e armazenamento inadequado. Uma mobilização internacional quer acabar com esse desperdício e dar comida a quem tem fome

Um terço dos alimentos que produzimos vai para o lixo; nem chega a ser consumido. Em termos de calorias, uma a cada quatro calorias produzidas são perdidas. Dos 1,3 bilhão de toneladas de alimentos desperdiçados, 44% é composto de frutas e vegetais, os produtos que mais vão pro lixo. Em seguida, aparecem raízes e tubérculos, compondo 20% das perdas; cereais com 19% e leite, com 8%. 
O desperdício de comida significa também desperdício de recursos naturais, contribuindo assim para impactos ambientais negativos. Hoje, a produção global de alimentos ocupa 25% de toda a terra habitável do mundo. A quantidade de terras cultiváveis usada para produzir comida desperdiçada é equivalente ao tamanho do México.
Há muito tempo existe uma receita para alimentar o mundo: evitar o desperdício de todos os alimentos produzidos e com isso impedir que milhões de crianças durmam com fome todas as noites. Parece complicado, mas não é tanto assim.
Uma mobilização incrível na França acabou de conquistar uma lei que obriga supermercados a doarem produtos não vendidos a pessoas carentes e aos sem-teto. Ao mesmo tempo, a União Europeia estuda novas regras para conter o desperdício de alimentos. E a ONU está fechando um acordo com a meta de reduzir o desperdício de alimentos pela metade até 2030. 
Descobriu-se que, no Quênia, quase metade das verduras cultivadas especialmente para supermercados ocidentais é destruída. Os supermercados alegam que o produto apresenta cores ou aspectos fora do padrão, ou cancelam encomendas inteiras de última hora, quando elas já estão prontas para o despacho. Pessoas que trabalham por menos de 2 dólares por dia e que relataram não receber seu pagamento quando os pedidos são cancelados. Eles não conseguem mandar os filhos para a escola ou alimentá-los direito. Alguns agricultores são forçados a assinar contratos que os impedem de doar a comida para os necessitados. 
No Reino Unido, os supermercados agora estão proibidos de tratar os agricultores dessa forma. Um novo órgão regulador pode receber queixas anônimas de agricultores e multar supermercados em até 1% do seu faturamento. O Tesco, maior supermercado do país, já está sob investigação.
Na trajetória da humanidade, nada é mais importante do que encontrar maneiras de alimentar a todos. Se unirmos ao crescente movimento contra o desperdício alimentar com a comunidade da Avaaz ao redor do mundo, poderemos alimentar os famintos e aliviar a enorme pressão das costas de pequenos agricultores e do nosso precioso meio ambiente. 
Os objetivos dessa mobilização são: exigir que sejam aprovadas leis que obriguem supermercados a doarem alimentos não vendidos, publicarem informações sobre desperdício e que sejam estabelecidas autoridades para investigar o tratamento injusto da parte de supermercados para com fornecedores, tais como forçar agricultores a desperdiçar alimentos que foram encomendados por eles próprios. A comunidade pede também que sejam lançados planos de ação nacionais para alcançar a meta das Nações Unidas de reduzir o desperdício alimentar pela metade até 2030.
A Avaaz quer juntar milhões de assinaturas, enviar a petição para a União Europeia antes do fim da consulta e, em seguida, trabalhar com aliados em todo o mundo para conquistar as leis que precisamos. Adicione seu nome e envie a petição para cada pessoa com quem você já compartilhou uma refeição: 
Fonte: Avaaz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas