Sobre a Inteligência das Aves


Escritora lança livro abordando aspectos surpreendentes da inteligência das aves. Segundo ela, apesar de possuírem um cérebro pequeno, as aves são capazes de realizar tarefas complexas, possuem excelente memória, podem aprender mais de 200 linguagens diferentes, entendem o estado mental dos companheiros, tomam decisões de rotas de navegação, etc. Enfim, as aves são grandes modelos para a compreensão de como nossos próprios processos mentais evoluíram.

Nos últimos anos, a ciência descobriu que as aves são muito, muito mais inteligente do que jamais possamos imaginar. Para se ter uma ideia da inteligência das aves, saiba que elas possuem pensamento abstrato, são capazes de resolver problemas, lembrar, aprender pelo exemplo (como fazem as crianças), reconhecer rostos, etc. Mesmo tendo um volume cerebral tão pequeno que caberia dentro de uma noz, estes minúsculos cérebros, ao que parece, são feitos principalmente de sofisticados sistemas de processamento de informações que funcionam mais ou menos da mesma forma que o nosso córtex cerebral.
Quem resolveu explorar esse assunto foi a  premiada escritora de livros científicos, Jennifer Ackerman, que relata as diferentes formas de inteligência aviária em seu novo livro intitulado The Genius of Birds. Este livro apresenta as aves como "pensadoras" - espertas, brincalhonas, espirituosas, ávidas, irritadiças, alegres, competitivas. O livro aborda a inteligência das aves dentro do contexto de comportamentos facilmente observáveis em nossos próprios ambientes e traz as mais recentes descobertas científicas de laboratório e de campo sobre o assunto. Escrito em um estilo leve, mas altamente informativo, a obra apresenta  descrições líricas e divertidas sobre o  comportamento das aves e  seu mundo.
Segundo Ackerman, que concedeu uma entrevista por e-mail a Audubon, podemos aprender muito sobre como os nossos cérebros funcionam estudando o cérebro das aves . Aves são capazes de aprender e lembrar . Elas usam as chamadas e cantos para se comunicar. Elas conseguem se localizar no espaço e posicionar-se em agrupamentos sociais formados por unidades familiares de bandos com centenas ou milhares de indivíduos . Suas ondas cerebrais mostram o mesmo padrão que o nosso durante o sono. Elas sabem enganar e manipular outros indivíduos. Elas criam jogos entre si. Elas consolam um ao outro. 
A verdade é que as nossas capacidades mentais, como as de todas as outras criaturas, são  produtos da evolução ao longo tempo. Nós compartilhamos uma quantidade surpreendente de características biológicas com outros seres, incluindo as aves. Nós também compartilhamos os mesmos desafios na obtenção de recursos no mundo e, em alguns casos, buscamos soluções semelhantes, sejam elas biológicas ou comportamentais. Mais e mais pesquisas estão mostrando que os comportamentos que se achava que eram exclusivos dos seres humanos, como planejamento, resolução de problemas , raciocínio, aprendizagem, memória, ensino, etc, são compartilhados também por outros organismos. 
Os corvos e os beija-flores são consideradas as aves mais inteligentes, mas muitas outras espécies exibem comportamentos notáveis. De acordo com a autora do livro, assim como os corvos, muitas aves criam e usam ferramentas , cantam um para o outro com sotaques regionais , tomam decisões complexas de navegação, conseguem se lembrar onde elas colocam as coisas usando intrincados conceitos geométricos, entendem o estado mental de outro indivíduo, usam pneus de carro em movimento para quebrar nozes, isto é  exibem todos os tipos de comportamentos inteligentes que podemos facilmente evidenciar em nossos quintais, nos comedouros dos parques, pelas ruas da cidade e nos céus do país afora.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade