As 180 Áreas do Nosso Córtex Cerebral


Um novo mapa do córtex cerebral foi apresentado esta semana. Desenvolvido por uma equipe internacional de neurocientistas, o novo mapa não traz as distorções dos outros mapas anteriores e mostra a divisão do córtex em 180 áreas, acrescentando 97 áreas novas e confirmando as outras 83 já previamente conhecidas. Segundo os pesquisadores, a pesquisa será importante para as cirurgias cerebrais e para os estudos sobre a evolução cognitiva dos seres humanos

Uma equipe internacional de neurocientistas criou um mapa preciso mostrando as 180 áreas do nosso córtex cerebral - 97 delas até então desconhecidas- utilizando um software capaz de incorporar dados procedentes de várias imagens de ressonância magnética. De acordo com os autores, os resultados da pesquisa podem ser aplicados para aperfeiçoar as cirurgias de cérebro e ajudar nos estudos da evolução cognitiva humana.
Os pesquisadores da Universidade de Washington (St. Louis, EUA) e outras instituições internacionais fizeram um mapa de 97 novas áreas do córtex cerebral humano, confirmando outras 83 já previamente conhecidas. Para fazer isso, eles desenvolveram um software que detecta automaticamente a "impressão digital" de cada uma dessas áreas na varredura do cérebro de um indivíduo.
Financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde (NIH, na sigla em inglês)), através de seu Projeto Conectoma Humano (Human Connectome Project ou HCP), este software mapeou áreas mediante a incorporação de dados provenientes de várias medidas de imagens cerebrais não invasivas que corroboram entre si. . Os resultados do estudo foram publicados esta semana na revista Nature .
O desenvolvimento de um mapa preciso e de alta resolução da chamada arquitetura microestrutural (ou estrutura local), da conectividade e da função do cérebro humano tem sido, durante muito tempo, uma meta ilusória para a neurociência devido a problemas técnicos.
A maioria dos mapas existentes foram baseados em somente uma destas medidas e algumas propriedades neurológicas relacionadas . Estas limitações deu como resultado mapas "distorcidos", que não eram reproduzíveis em outros indivíduos. Podemos entender melhor assistindo ao vídeo produzido pela Nature a respeito desse assunto.
Agora, os pesquisadores criaram esse novo mapa aperfeiçoado do cérebro usando vários tipos de ressonância magnética para medir a arquitetura cortical, atividade, conectividade e topografia do córtex de 210 adultos jovens e saudáveis, participantes do projeto HCP.
De acordo com Matthew Glasser, pesquisador e professor de neurobiologia da Universidade de Washington e um dos principais autores do estudo, este mapa neuroanatômico robusto, com melhorias futuras, além de suas aplicações em neurocirurgia, também poderá ser usado para investigar a evolução cognitiva dos seres humanos em comparação com outros primatas.
Para saber mais, clique nos links acima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

A Importância Ecológica das Baratas